segunda-feira, 4 de abril de 2011

A verdadeira graça de DEUS

0 comentários



“Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.” (Jd 1:4). Judas tinha percebido em seu tempo que alguns mestres estavam usando a graça para o pretexto de dissolução. Na bíblia de Jerusalém foi traduzido como “pretexto para licenciosidade”. A força da expressão da passagem de Judas nos levam para uma consideração séria sobre ao assunto da graça. Uma vez que a doutrina da graça tem sido distorcida para gerar argumento contra a santidade e o legalismo, e aqui quero deixar claro, que num contexto doutrinário de muitos mestres ditos cristãos, legalismo é a forma que eles usam para verbalizar a posição doutrinaria de igrejas conservadoras de santidade, aquelas que ainda lutam contra o mundanismo nas suas variadas expressões. Somos taxados de legalistas, e argumentam muitos liberais, que a graça não é legalista, ao tomar um expressão assim , argumentam os tais que agora estamos livres de imposições e restrições, por isso mesmo, taxaram de “usos e costumes” temas tais como uso de roupas que distinguem o sexo, uso da televisão, divorcio, etc etc e etc. argumentam que a graça nos livrou da lei, e das imposições e as chamadas restrições, o cristão na visão desses deve ser livre para andar como quiser, pois a salvação não depende daquilo que nós fizemos, por isso mesmo não importa, a ênfase é que CRISTO fez tudo na cruz, sua obra foi perfeita, e portanto a salvação é um mérito divino, e não humano. Concordo com a expressão, mas ela não é completa, desde que somos salvos pela graça, isso não significa que agora estando na graça possamos praticar a licenciosidade e andar como bem achamos ser conveniente, isso nunca pode ser encontrado dentro do contexto bíblico onde está exposta a doutrina da graça. Há sinais que evidenciam se a pessoa está salva na graça, “Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores, e coisas que acompanham a salvação, ainda que assim falamos.”(Hb 6:9). Jesus fala de frutos, o cristão salvo na graça tem que frutificar, tem que ser luz e tem que ser sal, isso nos leva para os termos da responsabilidades como indivíduos santificados em um mundo corrompido. O crente tem uma cultura celestial, ele precisa de sua identidade em um mundo caído, os mundanos odeiam esse tema, os liberais não suportam que alguém fale sobre isso, mas aqui está a verdade o tema é bíblico. Nos encontramos por exemplo em certa passagem sobre a graça de DEUS: “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens” (Tt 2:11) esse é o texto, mas olhe o contexto: “Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente” (Tt 2:12) esse contexto não parece, quando interpretado literalmente como um tanto “legalista” ? a graça meu amigo nunca nos omite de responsabilidades pessoais, de deveres, de princípios e de mandamentos. NUNCA! Se alguém prega para você que sendo salvo pela graça, não há necessidade de viver em santidade, separado do mundo, que não precisar viver dentro de normas, de princípios e de mandamentos, esse mestre está lhe ensinando a licensiosidade, usando como argumento a graça de DEUS. Muitas pessoas vivem enganadas dentro de denominações liberais. Achando que normas e princípios de santidade são coisas antiquadas, taxadas muitas vezes de usos e costumes, mas na verdade muitas restrições impostas por homens de DEUS com visão espiritual, simplesmente existem para proteger e não pra restringir pessoas. Na onda do liberalismo, em que a graça se tornou a base para a licenciosidade, vimos as correntes cristãs mais aberrantes. Desde o nudismo cristão, ecumenismo, musica estilo death metal com cantores cheios de piercing tatuagens etc, unção peniana, e tantas coisas assustadoras.

A graça de DEUS não nos omite de responsabilidades, pelo contrario, a bíblia é muito clara que vivena graça nos coloca em condições de responsabilidades que nos levam para o temor a DEUS e a viver uma vista casta, em sobriedade e vigilância, aliás a o novo testamento nos exorta tanto a esse estilo de vida de sobriedade e vigilância! Ao olharmos os argumentos de muitos liberais e seus argumentos de que as igrejas conservadoras que advogam a santidade em todas as áreas da vida, são legalistas e extremistas, e muitos desses liberais foram outrora conservadores. Conheci e convivi com muitos crentes que não defendem mais a santidade. Mudaram de opinião. Esses querem fazer um apelo para o contraste entre a lei de Moisés e a graça da nova Aliança, na lei de Moisés a questão do pecado era tratado figuradamente por sangue de animais, na Nova Aliança o pecado é tratado pelo sangue de Cristo, e nesse contraste encontramos no livro de Hebreus a seguinte advertência: “Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas.” (Hb 10:28) agora vejamos o contexto e a continuidade desse texto: “De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?” (Hb 10:29) portanto segue claramente pelo texto que o sangue de Cristo pode ser profanado e pode se fazer agravo ao Espírito da graça. A graça não nos isenta de responsabilidade e de princípios, nunca! Os liberais querem fazer uso da graça para dar pretexto a libertinagem, a confusão e a licenciosidade. Mas aos verdadeiros cristãos cabe a responsabilidade de ser sal e luz, ser diferente do mundo e andar em santidade, não existe outro evangelho além desse. Não se engane e não se deixe ser enganado por ninguém.

OVNIS E ENGANO OCULTISTA E O ARREBATAMENTO

0 comentários




O fenômenos de abduções está repleto de mistérios e contrastes. Há o grupo dos indiferentes, o time dos céticos que não acreditam na fenomenologia de abduções ou dão respostas nada convincentes sobre o assunto, a seguir a declaração de um pesquisador maduro, que depois de pesquisar sobre o fenômeno óvnis declarou:

“Passei toda a minha vida no meio acadêmico, sempre acreditei na primazia da razão e da lógica. O estudo do fenômeno me fez parecer ilógico e fora de contato com a "realidade" para meus colegas e velhos amigos. Agora me encontro na posição extremamente desconfortável de reforçar a sua opinião, não somente porque descobri que o fenômeno de abdução é "real" mas porque me tornei de certo modo apocalíptico em relação ao seu objetivo. Cheguei à conclusão de que a civilização humana pode estar se dirigindo para uma mudança rápida e talvez desastrosa e não projetada por nós, e me sinto ainda mais desconfortável porque

esta mudança é a menos aceitável para a sociedade - a integração alienígena.” (David M. Jacobs. A Ameaça. Editora Rosa dos Tempos)

esse paralelismo que Jacobs faz entre a ufologia e o apocalipse, não é simplesmente uma declaração de escatologia evangélica, primeiro porque ele não está lidando com teologia, segundo porque o tema não trata da doutrina escatológica. Jacobs é um pesquisador do fenômeno OVNI, como foi Hynek e outros. Suas declarações são assustadoras, e ele manifesta preocupação, como também outros pesquisadores também demonstram.

Há uma ligação sobrenatural com o fenômeno de ÓVNIS e experiências de abduções, algo assustador, e que está enganando e manipulando a humanidade. Isso tudo vai além das coisas comuns e por isso é ignorada pela maior parte das pessoas, e muitos ditos acadêmicos ignoram esse fenômeno por não se tratar de algo empírico, cientifico e plausível dentro dos conceitos normais. A ufologia é uma anormalidade sobrenatural, trata-se de uma manifestação complexa porque é sombria, é sombria porque é maligna. O cientista francês Pierre Gerar, após pesquisas concluiu: "As condutas dos Ovnis é mais adequada a magia do que a física, como a conhecemos, e que os Ovnis e nautas modernos, e os demônios do passado são provavelmente idênticos.” (1)

Nós temos que entender que a infestação ufológica é o prenuncio de que nosso mundo na medida em que mergulha na iniqüidade abre terreno para a manifestação de demônios (I Tm 4:1) o grande engano está sendo montado, um engano a nível mundial para capturar até a crença dos mais céticos, recentemente fenomenos estranhos aconteceram na Rússia, com a queda de um metereorito, onde podia se captar a imagem da cruz e a face de um ser.

Em meio as profecias, vimos como o sobrenatural chama a atenção das pessoas para desviar a atenção do mundo para a vinda de JESUS, aliás o arrebatamento terá que ser explicado pelo mundo, o esse evento fará com que o mundo sobrenatural demoníaco arrume o cenário para enganar os que ficarem. Quem durante a década de noventa, na força do movimento New Age, não ouviu falar sobre evacuação e purificação da terra? Essa crença ainda está viva na mente de muitas pessoas, um renomado escritor daquela época (década de 1990) escreveu um livro sobre o assunto, ainda está ativo na sua propaganda de evacuação mundial, feita por discos voadores com requintes de propaganda de negar o cristianismo bíblico e a bíblia sagrada (2)

O projeto do grande engano final é ter uma explicação plausível para um desaparacimento massivo de pessoas. Há anos que cientistas vem declarando a possibilidade de existência de universos paralelos, tudo um dia muito próximo se encaixará para dar uma resposta equivalente a grande enigma de desaparecimento de pessoas a nível mundial. Vejamos por exemplo como a transcomunicação tem se desenvolvendo nesses últimos dias, a tese de que espíritos de outras dimensões, supostamente de mortos, podem ser comunicar via telefone, tela de PC ou de televisão, essa é uma idéia crescente, e pioneira no campo do espiritismo principalmente aqui no Brasil. Eu concordo completamente com essas afirmações extraídas de um autor cristão “ a maioria das pessoas que testemunharam ter visto OVNIs ou ETs é envolvida com ocultismo, espiritismos, paranormalidade etc. Via de regra, nas histórias que são contadas, os supostos ETs conversam por telepatia e usam hipnose! É ocultismo puro! Além disso, muitas das pessoas que relatam essas experiências têm sérias dificuldades de explicar exatamente o que viram, o que provoca interpretações errôneas.(3)

Renomados pesquisadores cristãos como Dave hunt, assumem o fato de que os OVNIs e os Aliens não são básicamente fisicos, mas entidades espirituais que se materializam em nosso mundo.(4) Isso comprova a verdade bíblica de um mundo de espíritos caídos, contestado pela ciência oficial e rejeitada por místicos da nova era e outras vertentes espiritualistas, que interpretam a queda dos anjos dentro de concepções teosóficas, ou seja que os anjos caídos foram apenas seres que deram a luz para a humanidade ou que são provenientes de outros planetas e vieram mediante a reencarnação.

O grande engano está projetado, estamos vivendo de fato os últimos dias, o mundo sobrenatural caído ganha cada vez mais força e espaço nesse mundo poluído pelo pecado e maduro para o juízo. Devemos alertar as pessoas sobre esse engano projetado para iludir e ludibriar as pessoas. O SENHOR ESTÁ VOLTANDO. Prepara-te!

CLAVIO JUVENAL JACINTO

Outros artigos esclarecedores:

www.judas3.blogspot.com

(1) extraído de : http://www.jesussite.com.br/acervo.asp?id=208

(2) veja esse fato visitando a pagina: http://blog-de-ergom-abraham.blogspot.com/2006/08/projeto-evacuao-mundial-comecei.html

(3) Visite esse excelente blog cristão: http://www.queverdadeeessa.com/2010/08/ufologia-ets-e-as-desculpas-para.html

(4) http://thecomingepiphany.com/BookArticles/alien.htm

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

INFLUENCIAS SATANICAS NA IGREJA

0 comentários

Influencias do satanismo nas igrejas evangelicas modernas

O seguinte texto é parte de um livreto escrito em espanhol, no qual seus autores fazem um paralelo entre os conceitos de Lavey (fundador da igreja de satanás e autor da bíblia satânica) e o movimento nova era e os modismos e a corrupção moral da igreja moderna e o envolvimento com a doutrina expuria da prosperidade materialista.

“E natural que o mundo se modernize cada vez máis e que as modas se apoderem da juventude. até onde degradaram aa igreja por querer

comprazer ao homem? será possivel que a frase de Maquiavel “o fim justifica os meios é apropriada para o que esta passando hoje em día com o evangelho, para ninguém é um segredo que aos crentes nas igrejas não se lhes fala do verdadeiro evangelho, se prega mentiras com um evangelho de prosperidade mostrando um deus avarento que necessita de dinheiro para fazer um favor, agora aos jóvens não se lhes exige que transformem sua aparência extravagante forrada de modas do mundo, as quais eram parte de sua vida passada e não de uma pessoa que nasce de novo em Cristo Jesus.

Assím passam por alto a idolatría do pecado; porque idolatría?, acaso Satanás não esconde a identidade, como havíamos dito antes, é essa moda a que os identifica com uma serie de comportamentos e pensamentos. Nascemos e somos vitimas do mundo, mas quando alguem é nascido em Cristo nova criatura é. Para aqueles que conhecem o movimento da nova era na igreja se darão conta que agora há discotecas nas igrejas, cantores com modas nascidas da carne adoram assim a Cristo com um grande repertorio de letras que não são para Deus, se não para satisfazer ao homem, como desilusões amorosas, Também gêneros de rock, punk e reggae etc. mostrando que ser cristão é ser igual aos que não estão em Cristo; isso é mentira. Deus é um Deus de ordem se lhe adora em espírito

com música que chegue a louva-lo a exalta-lo e não para satisfazer ao homem,

uma vez morremos ao homem antigo a música é feita e cantada por

nos para ele e não para nos. os ritmos musicais criados por ele

mundo carnal são da carne, e os ritmos criados pelo mundo espiritual

são do espírito, como é possivel ver nos púlpitos das igrejas de onde se fala a palavra santa de Deus grupos que se dizem ser cristãos dançando em sedução com o reggae. a rebeldía como é o rock e demáis etc.

profanado assím o templo de Deus. a pergunta é : ha discernimento nos ministros dessas igrejas, ou é mais a meta de encher a igreja e assim enriquecer-se sem pregar o verdadeiro evangelho? Por que razão ja não se fala de buscar a santidade ou é que os ministros da igreja lhes da medo que sua igreja se esvazie e suas riquezas diminuam. Agora satisfazem aos homens da nova era é com bares, restaurantes, vitrines repletas de livros e cds.

O criador da biblia satánica disse que as igrejas no poderia chegar a estar acordo com os tempos devido a que ha muitas raízes religiosas, nisto se torna equivocada grande parte de igrejas se corrompem pelo deus dinheiro traindo e pisando o sangue de Cristo.”

TEXTO RETIRADO DO LIVRO: APOSTASIA Y SATANISMO EN EL MUNDO ENTERO Y LA PROBLEMÁTICA DE LAS IGLESIAS EN EL SIGLO XXI

AUTORES: John Jairo Melo Naranjo - José Orlando Melo Naranjo

O livro na integra pode ser lido e baixado em:

http://www.bubok.com/libros/190235/Apostasia-Y-satanismo-Biblia-Cristiana-Y-Biblia-satanica

(está disponível em espanhol)

Tradução do espanhol: Clavio Juvenal Jacinto

SINCRETISMO CAMUFLADO

0 comentários


O Pastor Sebastião Aragão, em uma matéria sobre confusão religiosa dos últimos tempos argumentava: “Há pouco mais de 2 dias fui a um congresso onde havia pastores de diversas denominações evangélicas. Temos o hábito de falar muito sobre uma certa igreja que se diz Cristã, por causa do seu sincretismo religioso. No entanto pude perceber mais de perto algo que já sabia há muito tempo: as igrejas chamadas "evangélicas" já tem hoje o seu "sincretismo" religioso também. Acontece de tudo o que se pode imaginar e dizem que é "poder do Espírito Santo". Se é que eu posso dizer assim, "coitado" do Espírito Santo, que leva a culpa de todas essas pilantrangens disfarçadas de evangelho. O que com certeza temos visto em nossos dias é o ANÁTEMA de que Paulo falou em gálatas: UM OUTRO EVANGELHO.

ESSA SITUAÇÃO só vem é fragilizar a fé daqueles novos convertidos que acreditam que toda aquela patifaria é poder de Deus. A Palavra de Deus diz que o EVANGELHO É O PODER DE DEUS PARA A SALVAÇÃO DE TODO AQUELE QUE CRÊ! É isso que devemos ensinar, é isso que devemos denunciar, é isso que devemos desmascarar, pois aqueles mais humildes, que não tem pelo menos um mínimo de cultura estão sendo levados ao engano PELOS VENDILHÕES DO TEMPLO.” (1)

O Problema maior de todas as coisas estranhas que estão entrando no mundo evangélico atual, é a falta de discernimento espiritual. É triste notar como as pessoas aceitam todo o sobrenatural, aceitam todas as profecias e tudo mais como se fosse uma manifestação divina. Parece que a maioria das pessoas não conhecem a bíblia, e não estão a par das advertências que a bíblia fala a respeito dos últimos dias.

Inocência ou cegueira espiritual? Creio que a ultima é a resposta plausível. Existe muitas pessoas que adotam praticas estranhas e supersticiosas sem levar em conta o que a bíblia diz ou adverte sobre o assunto.

Satanás o deus desse século de fato tem cegado a mente das pessoas religiosas que não estão dispostas a crer na verdade do evangelho e não querem saber do evangelho da verdade.

Me assusto muito quando vejo declarações como as de H. A. Maxwell Whyte: “ Nas igrejas há uma forma mais sutil de bruxaria falo sobre os falsos profetas com seus falsos dons espirituais, que se infiltram nas igrejas manifestando o sobrenatural. São pessoas usadas pelos “espíritos” e não pelo Espírito Santo. Eles pregam uma mensagem bem suave, com pouca base bíblica, então as pessoas concluem: Ele é um homem de Deus. Na verdade é um mago” (2)

As pessoas concluem que um homem é de Deus pelos sinais que ele faz e não pela doutrina que ele defende, não pelo que ele é mas pelo que ele faz, milhões de pessoas estão sendo enganadas dessa maneira, porque desprezam completamente aquilo que a bíblia fala sobre o assunto da advertência sobre as questões relacionadas as manifestações sobrenaturais, principalmente as relativas aos últimos tempos.

Mas os sinais não são e nunca vão ser a prova definitiva de que um homem é de Deus. Por isso mesmo devemos tomar muito cuidado. Talvez as palavras abaixo definem muito melhor o que desejo expressar nesse artigo: “Aqueles de vocês que são bem letrados em assuntos espirituais sabem que o Diabo sempre falsifica o que o verdadeiro Deus faz. Assim a serpente que seduziu Eva se parecia com um anjo de luz. E seus ministros se parecem com ministros da verdade. Somos informados em Apocalipse que esse homem que será rei, receberá uma ferida mortal na cabeça e morrerá. Mas pelo poder do Dragão (Satanás), ele ressuscitará dos mortos. Esta é uma falsa ressurreição e fará com que todos aqueles cujos nomes não estão escritos no Livro da Vida o adorem. Pode-se presumir também que ele realizará curas e dará alimento para os famintos. Talvez ele também transformará água em vinho para que todos possam festejar e se divertir. Pois nos é predito em Mateus 24 que naqueles dias eles estarão comendo e bebendo, casando-se e dando-se em casamento, assim como faziam nos dias de Noé. Então eu considero que será sexo, drogas e rock and roll.” (3)

Mesmo diante de livros e artigos diversos advertindo sobre esse assunto, muitas crentes continuam cegos e indiferentes a esse assunto, isso apenas revela o poder do engano que atua na igreja atual, e por isso mesmo devemos lutar pela fé autentica e defender o evangelho verdadeiro. Não podemos ficar indiferentes diante da atual confusão no meio cristão, nossa chamada é para defender, batalhar e acima de tudo sermos guardiões das verdades bíblicas

C. J. Jcinto

(1) Extraído de www.simceros.org

(2) Livro “O Beijo do diabo” pág 49 Dunamys Editorial

(3) http://olharprofetico.com.br/estudos-sobre-profecias/137-profecias-do-anticristo--parte-dois

A AVAREZA GOSPEL

0 comentários



O que sustenta nossa sociedade senão o espírito da avareza? Onde você ouve alguém fazer apologia da pobreza e da vida simples? Praticamente em lugar nenhum, eu particularmente sou pesquisador, autodidata, amante da leitura, e durante todos esses anos li um artigo,um único artigo, de autoria de cristão menonita, incentivando a pobreza e a vida simples, sem o glamour, a luxuria e esse consumismo exagerado próprio da nossa sociedade ocidental. O mundo jamais vai aceitar um ensino que comprometa sua visão materialista e consumista. O cidadão secular jamais poderia aceitar como equilibrada e sábia uma mensagem que contenha como essência, a suposição de que uma vida simples somada a um contentamento com poucas aquisições, como um estilo de vida alegre e sadio. Acontece que essa mentalidade soa loucura também para a maioria dos cristãos modernos, e quase sempre e em todo lugar, a prosperidade, o consumo, o status, o glamour, o e a mercantilização religiosa tem sido também o fardo que o protestantismo vem desenvolvendo e carregando.

Acontece que a simplicidade choca-se com as parafernálias tecnológicas dos últimos tempos, um estilo de vida simples, em um mundo que foi doutrinado na mais bestial lavagem cerebral de que precisamos galgar o elitismo materialista para que o sentido da vida possa ser encontrado. A sociedade cristã não fugiu dessa correnteza espúria e poluída, pelo contrario se tornou vigorosamente defensora dessa visão distorcida da vida. Quando o diabo tentou JESUS CRISTO, como vimos no evangelho de Mateus 4, ele ofereceu tudo o que qualquer homem ocidental sonha ter. Mostrou os reinos desse mundo e toda a sua glória, e ofereceu a JESUS CRISTO, em troca da adoração. O bilhete premiado do Diabo, era dar um sistema colorido, de proporções monetárias e consumistas que vão além dos excessos que conhecemos hoje. “Tudo isso te darei se prostrado me adorares” disse o diabo

A maioria das igrejas ditas cristãs, não resistiram a essa tentação. E o diabo está feliz com isso. Hoje vimos esse consumismo materialista desenfreado, ao ponto de ser fazer do cristianismo um dos mais lucrativos empreendimentos que se tem noticia. Impérios excessivos são erguidos as custas do nome de JESUS CRISTO, Megatemplos são erguidos no mais rigoroso conforto somados aos milhares de sermões adocicados pelo veneno do falso evangelho que não chama o pecado de pecado e nem pecador de pecador, e não mais se afirma que o inferno existe e os pecadores, a maioria na visão de JESUS, vão para lá.

Ao invés de ser a mensagem de resgate, o evangelho da maioria se tornou a mensagem do engano, da distorção e da fraude religiosa. A grige religiosa evangélica se tornou na galinha de ovos de ouro, dos espertalhões do templo, que estão vendendo sua mercadoria falsa, um evangelho pirateado, de péssima categoria.

Aos olhos de uma sociedade capitalista e extremamente narcisista, os menonitas conservadores a essas alturas estão sendo vistos como verdadeiros ETS religiosos as margens desse carnavalesco grupo de evangélicos que professam a CRISTO com a boca e adoram a Mamom com o coração, qualquer um que não faça do cristianismo uma maquina caça níquel, é fanático antiquado e bitolado, tolo, atrasado, e sei lá o que mais.

Aliado a tudo isso, vem o monstro com pezinho de algodão chamado entretenimento. Basta sugar dinheiro ao som do circo show religioso que todo mundo fica contente, o espetáculo ilude as pessoas, A invenção mórbida de tantos aparatos religiosos e tantos esquemas litúrgicos é feita justamente para dar o nó nos neurônios dos incautos e nas vitimas que procuram um cristianismo barato, que dispense completamente as palavras de JESUS em Lucas 14: 26 a 35.

Estou escrevendo tudo isso, sem me importar o que as pessoas pensam de mim, sou cristão, sou evangélico, e as vezes fico irritado com o modo como sou tratado, porque há quem interprete o movimento evangélico de maneira genérica, como se todos fossem iguais, o que é uma mentira descabada, maldita e infernal. Não, mil vezes não! Pertenço a um grupo evangélico que não é rico e nem seus lideres nenhum deles construiu riquezas as custas do nome de JESUS, e nem fizemos comercio religioso, pregamos a salvação em Cristo e ajudamos as pessoas, praticamos a comunhão mutua, e além disso conheço outros que também que são assim.

Tozer já tinha percebido o declínio evangélico muitas décadas atrás quando escreveu: “ Por séculos a igreja se manteve solidária contra toda forma de entretenimento mundano, reconhecendo-o pelo que era – um meio para desperdiçar o tempo, um refúgio contra a perturbadora voz da consciência, um esquema para desviar a atenção da responsabilidade moral. Por isso ela própria sofreu rotundos abusos dos filhos deste mundo. Mas ultimamente ela se cansou dos abusos e parou de lutar. Parece Ter decidido que, se ela não consegue vencer o grande deus entretenimento, pode muito bem juntar suas forças às dele e fazer o uso que puder dos poderes dele. Assim, hoje temos o espantoso espetáculo de milhões de dólares derramado sobre o trabalho profano de providenciar entretenimento terreno para os filhos do Céu, assim chamados. Em muitos lugares, o entretenimento religioso está eliminando rapidamente as coisas sérias de Deus. Muitas igrejas nestes dias têm-se transformado em pouco mais do que pobres teatros onde “produtores” de quinta classe mascateiam as suas mercadorias falsificadas com total aprovação de líderes evangélicos conservadores que podem até citar um texto sagrado em defesa de sua delinqüência. E raramente alguém ousa levantar a voz contra isso.” (1)

Nessa confusão babilônica em que chegamos, rogo ao SENHOR para que abra os olhos de cada leitor, para identificar o grupo em que está associado e se desligar completamente das denominações mercantilistas e se associar com um grupo conservador no sentido mais nato da palavra.

CJJ

(1) http://camposdeboaz.xn.blog.br/o-grande-deus-entretenimento-a-w-tozer

MENTIRAS DA HISTORIA

0 comentários

Basta verificar as primeiras páginas da Bíblia para descobrir que os infortúnios da humanidade começou com uma mentira. Quando a serpente original seduziu Eva a acreditar em suas mentiras, o primeiro casal pegou a estrada para o desastre. A mentira da serpente foi astuta na sua vida plena de simplicidade impressionante. Oferecido somente um ser tão impossível desejavelmente dois, negou as consequências dos actos cometidos sob seu impulso e levando a culpa nos outros.

Discutimos se Adam acreditava que sua esposa lhe disse ou se, como afirmou Milton, simplesmente decidiu se juntar a ela por medo de perder. Seja qual for o caso, os resultados dessa farsa não podia ser mais deplorável. De fato, se acreditarmos as reivindicações do relato do Gênesis, não é a origem de todos os nossos infortúnios.

Qualquer opinião que se tem do relato do Gênesis, deve ser reconhecida, pelo menos, que é um padrão claro de mentiras históricas. Eles nunca foram inocentes . Não é derivado, como seria legítimo, o filibilidad humano, o conhecimento limitado que temos de alguns fatos ou especulações. Não, em mentiras que estão consagrados na história muitas vezes têm uma clara intenção ideológica . Por sua utilização destina-se a legitimar legítimo razões raramente não inventar justificativas para isso, desviando as responsabilidades para os outros, encontrar bodes expiatórios para seus próprios pecados e até mesmo o pior desculpabilizar atrocidades. Como Orwell apontou justamente em 1984 para descrever o que o futuro estaria sob um regime socialista, o histórico está a intenção de alterar a imagem do passado a fim de aproveitar o presente e dominar o futuro .

Cesar Vidal

Extraído do site: http://www.masnobles.net/2010/12/06/las-mentiras-de-la-historia/

Tradução: Clavio Juvenal Jacinto

Mutilações de animais e magia negra

0 comentários



Já faz alguns anos que começou a surgir em todas as partes do mundo, inclusive aqui no Brasil, casos de animais mutilados de maneira “misteriosa’ e que tem servido de mão cheia para alguns ufólogos e místicos modernos especularem sobre a possibilidade de alienígenas estarem coletando DNA de seres terrestres para aplicarem em supostas experiências genéticas.

Na casuística ufológica esse tema é bem comum, e não faltam defensores e quem faça apologia sobre teorias como a conspiração oculta de que governos tem se aliado com alienígenas em troca de segredos tecnológicos. Os governos assim permitiriam as abduções e essas mutilações em animais, e que isso tem ocorrido principalmente no Brasil e EUA por causa do pacto que esses governos fizeram com os ETs.

Mas isso não é provável, na realidade não existe qualquer prova concretam nem mesmo de que existe vidas em outros planetas, toda verificação até agora tem se mostrado frustadora, não há nenhum indicio ou sinal de que exista outros planetas habitados, e tudo o que se sabe está limitado ao campo do espiritismo e do espiritualismo da Nova Era, onde entidades tem se apresentado aos canalizadores(médiuns da nova era) como supostos habitantes de outros planetas.

Fica porém uma incógnita aberta: o que são na realidade essas mutilações misteriosas que ocorrem em todo o mundo, onde animais são mortos e algumas partes são extraídos quase que de modo cirúrgico?

É bem provável que se trata de magia negra, essa é a resposta mais plausível, porque o sacrifício de animais é um fato comum na magia negra, qualquer pessoa que pesquise sobre o assunto encontrará provas de que se algo existe nesse sentido(as mutilações misteriosas) essas tem fins ritualísticos. O satanismo tem crescido assustadoramente em todo mundo, a muitos anos atrás uma seita no Paraná assassinou uma criança em um ritual macabro, outros casos podem ser encontrados em todo o mundo, o que comprova existir um elo entre magia negra e sacrifícios ritualísticos. Além disso vimos uma sociedade decadente que simpatiza com o paganismo que outrora tinha como parte litúrgica fundamental o sacrifício de humanos (os maias por exemplo)

Dias de escuridão espiritual predominam, e a igreja do SENHOR deve acrescentar mais óleos em suas lâmpadas para fazer com que a luz do evangelho aumente mais, a fim de resgatar aqueles que se encontram nessas trevas tenebrosas, onde satanás tem andado e agido com muita liberdade. Nós porém não somos das trevas, mas isso só será realidade quando nossa luz de fato brilhar, e quando nos opusermos com toda a intensidade a esse avivamento satânico que marca nossa atual geração.

MUNDANISMO : A LEPRA ESPIRITUAL

0 comentários

MUNDANISMO, A LEPRA ESPIRITUAL

uma das tragédias da vida cristã é ver aqueles que professam o nome de Cristo chafurdarem na imundície deste mundo e depois tentarem "testemunhar" para ele!

É triste observar que, conforme a Época da Graça se prolonga, o povo de Deus parece mais determinado do que nunca a adotar as atitudes e ações do mundo. As modas vêm e vão, mas uma coisa continua constante — cada uma delas consegue deixar sua marca indelével sobre certos segmentos da cristandade. Para aqueles de nós que já acumularam certa "quilometragem", vemos esse fenômeno a partir da perspectiva de ter passado por grande parte dele. Eu realmente gostaria de poder expressar com palavras adequadas aos jovens o quanto a sociedade mudou nos últimos quarenta ou cinqüenta anos. Isso nos faz pensar em quanto mais o Senhor permitirá que esse processo continue antes de vir buscar Sua igreja.

Como podemos esperar, a Palavra de Deus tem muito a dizer sobre os assuntos mundanismo e separação. Com a ajuda de Deus, gostaria de explorar ambos os tópicos em profundidade. Começaremos tentando definir a palavra "mundanismo". É o substantivo do adjetivo "mundano" e o Dicionário Aurélio define assim: "Vida mundana; hábito daqueles que só procuram gozos materiais". A partir dessa definição, vemos que não é absolutamente uma palavra que seria usada para descrever um cristão. Ser mundano é aderir e seguir aquilo que caracteriza as atitudes e ações das massas; dos incrédulos — aqueles que estão perdidos. Além disso, precisamos compreender que é uma coisa extremamente fácil de fazer. Tudo o que precisamos é "seguir as massas", seguir o caminho da mínima resistência. A natureza humana nos predispõe para o mundanismo. Antes de sermos salvos, o mundanismo era um modo de vida. Após a salvação, ganhamos uma nova natureza, mas a velha natureza pecaminosa não foi erradicada. Por isso, estamos em uma situação que garante uma vida de conflito contínuo!

Talvez você já tenha ouvido a história sobre um velho chefe indígena que se converteu a Cristo. Certa vez, dois de seus irmãos "caras pálidas" foram visitá-lo e um deles perguntou como estava indo sua vida espiritual. O velho chefe respondeu que era como se ele tivesse dois cachorros vivendo dentro dele — um branco e um preto e eles brigavam constantemente! Após conversarem um pouco, um daqueles homens perguntou: 'Afinal, quem ganha a luta?' A resposta do chefe foi clássica: "Aquele que eu alimento mais." Embora seja uma ilustração simples, ela nos dá um quadro vívido da batalha que ocorre todos os dias dentro de nós. Se alimentarmos nossa nova natureza por meio do estudo da Palavra de Deus e da oração, crescemos "na graça e no conhecimento do Senhor". No entanto, se continuarmos a festejar "com as bolotas que os porcos comem", não devemos esperar muito progresso na vida espiritual.

O apóstolo Paulo menciona essa luta em Romanos 7:15-25. O que ele diz é vital para nossa compreensão do problema, de modo que incluímos todo o texto aqui:

"Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado."

Essa luta interior, que Paulo descreve tão bem, deve ser igual a que experimentamos. Sabemos o que é melhor, mas nem sempre fazemos o que é melhor! Certo? Bem, preciso me apressar em dizer que só porque essa é uma aflição comum, não quer dizer que tenhamos uma desculpa para nossas ações. Permitir que ações e atitudes pecaminosas e mundanas continuem em nossas vidas, sem serem enfrentadas, é convidar problemas maiores. O apóstolo João nos admoesta em 1 João 2:15-17:

"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre."

Creio que cada um de nós pode ver nesses versos que o amor ao mundo é um perigo muito real para o cristão. Nossa natureza caída, que está conosco desde o nascimento, está naturalmente inclinada e preparada para as atrações que nos rodeiam. Nunca antes em toda a história humana isso foi mais problemático do que atualmente e está ficando cada vez pior! Os historiadores dizem que uma das principais razões para a queda do Império Romano foi que a maior parte da população desenvolveu um apetite insaciável pelos prazeres e divertimentos. Enquanto as pessoas se divertem, esquecem-se das coisas que realmente são importantes na vida. Esse tipo de comportamento é uma forma de fuga, para não enfrentar as realidades da vida diária. Como os cristãos não são imunes à doença do mundanismo, precisamos reconhecê-la como sendo uma lepra espiritual e evitá-la. (A lepra, freqüentemente mencionada na Bíblia, sempre é retratada como sendo típica do pecado.)

Em toda a Bíblia, os cristãos são constantemente exortados a buscar sabedoria — a pensar, a agir de uma maneira responsável o tempo todo — para nosso próprio bem e para o bem dos outros. Uma das tragédias da vida cristã é ver aqueles que professam o nome de Cristo chafurdarem na imundície deste mundo e depois tentarem "testemunhar" para ele! As atitudes falam mais alto que as palavras e cada um de nós precisa entender que estamos em cena e nossas ações estão sendo observadas o tempo todo. Depois que tomamos o primeiro passo de identificação com Cristo (o batismo), tornamo-nos homens e mulheres, meninos e meninas marcados — pois o mundo está apenas aguardando a primeira oportunidade para nos chamar de hipócritas! Satanás é o deus deste mundo e tenta explorar cada deslize nosso. Amar as atitudes e filosofias prevalecentes na nossa cultura é garantia de ruína para nosso testemunho como filhos de Deus.

O que quero dizer com a palavra "testemunho"? Houve uma época em que a terminologia da fé era tão largamente compreendida que se podia assumir que todos a compreendessem, mas esse não é o caso hoje. É por isto que normalmente procuro definir certos termos. Seu testemunho cristão é similar à sua personalidade, pois é "você" — o que você realmente é — como aparece aos outros em relação à sua profissão de fé. Você pratica aquilo que prega? Se pratica, pode-se dizer que mantém um bom testemunho de Cristo. Depois da salvação, o testemunho é o que de mais valioso você tem. Portanto, mantenha-o limpo e não permita que a sujeira deste mundo grude nele.

O melhor testemunho para Cristo é uma vida que está cheia e que é controlada pelo Espírito Santo. Muitos cristãos têm hoje a idéia errada que testemunhar consiste unicamente em "apresentar o evangelho". Embora compreendamos e concordemos que o aspecto sobrenatural da salvação definitivamente envolve a mensagem do evangelho, nosso testemunho de modo algum é limitado a isso. Independente se você percebe isso ou não, a maioria das pessoas presta muito mais atenção àquilo que você faz e como reage do que com o que diz. Como diz o velho adágio, "Falar é fácil!" Algumas pessoas que falam muito bem acabam ficando constrangidas após serem desafiadas com o "mostre-me ou cale-se". A atitude que a maioria de nós terá é: "Não fale somente, mostre-me também!" As ações falam muito mais alto que as palavras. Quando vivenciamos aquilo que falamos, nossas palavras terão uma força muito maior. Se as pessoas virem que somos genuínos e que nossas vidas irradiam a realidade daquilo que professamos, estarão muito mais abertas à mensagem que anunciamos. Os hipócritas são alvo de escárnio em toda a parte e não é para se admirar! O mundanismo e a piedade são totalmente incompatíveis — como óleo e água, que não se misturam. Mas, apesar das admoestações da Bíblia sobre o mundanismo e suas conseqüências, muitos cristãos insistem em tentar "ficar com as pernas uma de cada lado da cerca". (Para aqueles que sempre viveram na área urbana, essa expressão pode não fazer muito sentido — mas para aqueles que já tentaram saltar uma cerca de arame farpado — certamente faz!) Tentar ficar com as pernas uma de cada lado, uma no mundo e outra nos céus provavelmente o deixará com as calças rasgadas!

Outro modo de ilustrar o ponto é com uma história sobre o Velho Oeste americano. Um homem proprietário de uma empresa transportadora estava entrevistando os candidatos a condutores de diligências. O trecho da estrada que ele selecionou para o teste estava em uma montanha que tinha um barranco em uma das laterais, com uma queda de centenas de metros. As instruções que ele dava a cada candidato eram simples: "Veja o quanto você consegue chegar perto do barranco, mas sem cair!" Primeiro um, depois outro candidato tentaram, levando os cavalos bem para perto do barranco. Finalmente, quando um terceiro homem se apresentou e recebeu as instruções, ele disse: "— O senhor está louco? Vou conduzir os cavalos pelo outro lado da estrada, ficando longe do barranco!". "— O emprego é seu", exclamou o chefe. O risco era grande demais e este é exatamente o ponto que quero deixar claro sobre o envolvimento com o mundanismo. Se você parecer como o mundo, agir como o mundo, e cheirar como o mundo — como o mundo verá a diferença em você? Por que devemos achar que eles serão atraídos a Cristo por meio do nosso testemunho quando parecemos ser virtualmente iguais a todas as outras pessoas? Como diriam alguns garotos hoje: "E aí?"

Outro aspecto muito importante do nosso testemunho envolve a doutrina bíblica da separação. Creio com todo meu coração que essa é uma das menos compreendidas e menos ensinadas doutrinas na Palavra de Deus hoje. Quando é mencionada, é geralmente com generalidades e clichês, mas a Bíblia é tanto explícita e implícita com relação a esse ensino. É explícita porque o assunto é tratado claramente e é implícita porque está ele contido em princípio em toda ela. Vamos saltar para o meio desse assunto e ver se tocamos em alguns nervos expostos:

Em 2 Coríntios 6:14-18, lemos:

"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso."

Paulo, escrevendo sob a influência e inspiração do Espírito Santo, diz que precisamos nos separar dos incrédulos e não nos envolvermos em alianças ou sociedades com eles. A palavra "jugo" refere-se à canga, um implemento de madeira, utilizado para prender uma junta de bois pelo pescoço e ligá-los à carroça ou ao arado. Se alguém tentasse prender um boi com uma mula por meio do jugo, o resultado seria desastroso, pois eles não trabalhariam bem em conjunto. Dois bois ou duas mulas seriam bons, mas as diferenças de temperamento e de tamanho entre bois e mulas não permite combinar os dois. O ponto aqui é que os crentes precisam evitar qualquer situação em que fiquem em jugo desigual com um incrédulo. Isso inclui exemplos como namoro, casamento, sociedades nos negócios, associações voluntárias (clubes, etc.) por meio das quais aqueles que não têm os mesmos valores espirituais possam exercer pressão sobre você. As amizades íntimas com as pessoas erradas também devem ser evitadas.

Abordo este tópico com "temor e tremor", pois sei, a partir de experiências dolorosas, que muitos crentes reagem de maneira emocional ao que caracterizam como "legalismo". Em primeiro lugar, não é legalismo, pois não estou tentando impor a lei do Antigo Testamento sobre os cristãos. É uma proibição muito sã e sensata que objetiva manter a pureza da nossa caminhada com Cristo. Ninguém consegue brincar com um amontoado de carvão sem se sujar todo. É realmente simples assim. "Não procure sarna para se coçar", diz o ditado. Logicamente, aqueles que já estão casados com incrédulos, ou já comprometidos em relacionamentos que são inevitáveis, não devem tornar uma situação má pior! Esse ensino objetiva principalmente a prevenção, mas em alguns casos o incrédulo em questão está arruinando a vida espiritual do cristão e, por essa razão, o relacionamento deve ser rompido. Se você acha isso drástico demais, leia então o capítulo 10 de Esdras, e veja o que Deus exigiu dos sacerdotes e levitas que tinham mulheres estrangeiras. Servimos ao mesmo Deus hoje! A separação é ensinada em toda a Bíblia, do Gênesis até o Apocalipse, mas não é um assunto que as pessoas gostem de ouvir.

Não somente devemos manter a separação pessoal, mas também somos instruídos a manter a separação "eclesiástica". Este é um ensino implícito e requer maturidade espiritual para compreender toda sua implicação. A palavra grega ekklesia, freqüentemente traduzida como "igreja", é a palavra-raiz de "eclesiástica" — referindo-se às igrejas e/ou congregações. O que significa manter separação eclesiástica? Detesto ser extremamente direto, mas significa ficar longe de qualquer pessoa que afirme ser cristã, mas que obviamente não adere aos ensinos de Cristo! A palavra de Deus nos recomenda não julgar os outros — condená-los injustamente e lavrar sentença sobre eles da forma que um juiz faz — mas também somos exortados a "provar (testar) todas as coisas". Deus espera que mantenhamos nossa guarda espiritual e não creiamos nas aparências. É claro que você sabe que nem tudo o que reluz é ouro. As igrejas e os membros que envergonham os ensinos de Cristo e negam as doutrinas essenciais da fé devem ser evitados. Afirmar ser um cristão só por causa da participação em uma igreja é como afirmar ser um carro ficando em uma garagem.

Estamos vivendo nos últimos dias da igreja e creio que o joio exceda grandemente o trigo. Muitos, se não todos, dos mais respeitados e renomados pregadores e evangelistas atuais estão flertando com a Igreja Católica Romana e com seu programa ecumênico mundial. A enganação demoníaca cresce a cada dia. Meu trabalho é dizer a verdade, não importando se isso o deixa contente ou não. Esse conceito de separação é um assunto importante e somente arranhei a superfície, por assim dizer. É de vital importância que o povo de Deus saiba e compreenda os princípios e preceitos da Sua Palavra, de modo que iremos, com a ajuda de Deus, continuar batendo nessas "vacas sagradas" para ajudá-lo a amadurecer na fé.

Finalmente, há um assunto de separação que ainda causa furor em alguns círculos. Isso tem a ver com a questão se a Bíblia ensina ou não a separação dos crentes genuínos. É uma questão emocional para alguns, mas precisamos determinar primeiro e antes de tudo se tem base nas Escrituras — e, em caso afirmativo, o que precisamos fazer para conformar nossas vidas com esse ensino. Novamente, quero lembrá-lo da terrível visão que Deus tem do pecado. Ele odeia o pecado com todo Seu ser e para nos redimir das garras do pecado deu Seu Filho unigênito. Não existe "pecado pequeno" — um conceito de origem humana no qual temos tendência para acreditar. Deus quer que fiquemos longe do pecado, de todas as formas de pecado, e qualquer ensino que enfatize esse princípio precisa ser considerado, gostemos dele ou não. Este é o caso que está diante de nós. Há um tempo em que devemos nos distanciar de outros crentes? Francamente, a maioria dos pregadores conservadores e fundamentalistas provavelmente vai gritar: "Nunca!" Creio que eles estão enganados e espero poder mostrar por que estão enganados. A unidade entre os irmãos é algo que precisa ser preservada, se possível — mas existem momentos em que as atitudes pecaminosas por parte de alguns indivíduos requer ação rápida e decisiva do corpo de Cristo.

Em 1 Coríntios 5, temos uma situação em que um dos irmãos estava vivendo em clara imoralidade com sua madrasta. Aparentemente, o homem era rico e influente na comunidade e, por causa do seu nível social, a igreja "estava vendo o outro lado". Quando Paulo soube do assunto, escreveu a epístola para instruí-los a corrigir o problema. No verso 13, ele ordena que o homem seja excluído da igreja. "Mas pastor Ron, isso não é ser excessivamente severo?" Algumas vezes, medidas drásticas são necessárias para corrigir aquilo que é visto como de pequena importância. A imoralidade entre os irmãos na igreja não pode ser tolerada. Ponto final! Quando uma pessoa é tratada da forma como o próprio Senhor especificou em Mateus 18:15-17, e não ouve ao ensino e as admoestações da igreja, precisa então ser excluída da comunhão. Observe que o verso 17 diz: "... se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano."

Os três passos para lidar com o pecado evidente são: (1) admoestação em particular — de irmão para irmão; (2) admoestação testemunhada por mais um ou dois irmãos; e (3) admoestação pela igreja toda reunida. Se a pessoa não ouvir a admoestação da igreja, então deverá ser desligada do rol de membros e tratada como fosse um incrédulo (alguém ainda perdido em seus pecados). Espera-se que esse passo drástico nunca precise ser dado, mas se for necessário, precisamos orar para que o indivíduo (se verdadeiramente salvo) fique envergonhado, arrependa-se e busque o perdão e reconciliação com a igreja. Graças a Deus, o homem em Corinto veio a se arrepender e foi reconduzido à comunhão com a igreja.

Para enfatizar o ponto que a separação é necessária nesse tipo de situação, veja novamente 1 Coríntios 5:9 em diante:

"Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais."

Isso deve deixar claro que devemos evitar os irmãos professos sob certas condições. O "porquê" desse evitar é deixado claro em 2 Tessalonicenses. No capítulo 3, versos 6, 14 e 15 lemos:

(Verso 6): "Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu."

(Versos 14 e 15): "Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão."

Aqueles que discordam desse ensino — insistindo que a unidade precisa ser mantida a todo o custo — fazem isso, creio, a despeito da clareza do texto. A maioria dos que têm essa posição insiste que o ensino (2 Tessalonicenses 3) é pertinente àquela situação somente. Em outras palavras, Paulo está admoestando algumas daquelas pessoas porque acreditavam que o arrebatamento ocorreria a qualquer momento e tinham abandonado seus empregos, vendido suas propriedades e estavam sentadas, ociosas, só aguardando! Elas se recusavam a fazer qualquer trabalho para se manter e tinham se tornado um peso para a igreja. Embora seja verdade que Paulo esteja falando sobre uma situação particular, seu ensino em 1 Coríntios deve deixar claro que o princípio é o mesmo. Os pecados específicos são totalmente diferentes, mas são pecados também! O senso comum diz que Deus odeia o pecado e está ordenando que nos separemos dele — mesmo se isso significar evitar alguns irmãos. Observe as razões para essa atitude — a separação — é que o irmão malfeitor possa se envergonhar. A idéia é tentar levá-lo ao arrependimento e fazê-lo voltar para o caminho certo. Se não formos cuidadosos, podemos concluir erroneamente que aquele que pratica a separação está exibindo uma atitude "sou mais santo do que você". Embora isso sempre seja uma possibilidade, simplesmente porque pode ser visto assim, não significa que devamos desconsiderar o ensino. Isso seria como jogar fora o bebê junto com a água da banheira!

O próximo passo lógico de separação é também muito controverso. E o irmão que se recusar a dar ouvidos a esse ensino e continuar a se associar com aqueles que deveriam ser evitados? Chamo sua atenção de volta ao verso 14 do nosso último texto: "Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe." Certamente devemos ver que a eficácia do ensino dependerá do grau em que for praticado. Caso alguém na igreja ignore a admoestação de Paulo, o efeito desejado de fazer o membro malfeitor sentir-se envergonhado é diminuído. Evitar aqueles que ignoram esse ensino — aqueles que continuam a se associar e ter comunhão com indivíduos que, por suas atitudes e ações, merecem ser postos para escanteio — é chamado de "separação em segundo grau". O argumento deles é: "Onde você traça a linha?" "Voltamos ao 'terceiro grau' e 'quarto grau', etc.?" Esse tipo de raciocínio é infantil, pois obscurece a questão recorrendo a extremos ridículos. Obviamente, sempre haverá um ponto de "retornos decrescentes" — além do que seria inútil continuar a separação. No entanto, para ser fiel ao intento original das instruções de Paulo, precisamos nos forçar a encarar o fato que os irmãos podem se desviar, e isso acontece. É papel do cristão maduro reconhecer a importância de manter a pureza no andar; uma separação de todo o pecado e obediência ao ensino bíblico.

Mencionei anteriormente um desejo de poder comunicar aos cristãos mais jovens as vastas mudanças na sociedade que ocorreram durante os últimos quarenta ou cinqüenta anos. Essas mudanças, com a degradação resultante dos valores espirituais, são de partir o coração.

Para tornar as coisas ainda piores, os valores daqueles tempos antigos já não eram nada de que se possa orgulhar! Santidade e piedade pessoal são termos praticamente extintos — remanescentes arcaicos de uma época que já passou. A história praticamente já deu uma volta completa no círculo e voltamos à condição descrita nos livros do Antigo Testamento, Deuteronômio 12:8 e Juízes 17:6 e 21:25: "Cada um fazia o que parecia bem aos seus olhos." A Bíblia — a literal Palavra de Deus — é ignorada pela maioria daqueles para a qual foi dada como padrão absoluto de fé e de prática. Como resultado direto disso, a igreja perdeu a capacidade de ser o sal da terra e a sociedade está nos últimos estágios da podridão moral. O que podemos fazer? A não ser que o Senhor decida operar um milagre de não pouca magnitude, a situação não será corrigida. No entanto, como diz aquele antigo hino: "Brilha no meio do teu viver!" Não importa se o resto do mundo esteja determinado a seguir no caminho errado; cada um de nós deve fazer o melhor que puder para caminhar na luz da Palavra de Deus e buscar a santificação. Todos estaremos diante do Tribunal de Cristo, como indivíduos, para prestar contas pelas obras feitas no corpo. Nosso galardão eterno será determinado pela nossa obediência aos mandamentos do Senhor.

Autor desconhecido

As marcas de uma igreja apostata

0 comentários


1) abre mão de pressupostos doutrinários para não ofender as pessoas com mensagens consideradas ofensivas, portanto não se fala mais sobre pecado e não se denuncia mais os pecadores como perdidos de maneira correta e coerente.

2) Não mais defende um estilo de vida de santidade, mas abraçou o mundanismo em praticamente todos os setores.

3) Não mais se interessa em pregar a mensagem profética que condena o pecado, mas somente aquilo que agrada o povo.

4) A ênfase está na prosperidade e nos bens terrenos, daí a sórdida ganância ser o espírito reinante nas assembléias.

5) Promove a injustiça ministerial e social, pagando salários altíssimos aos lideres a custa do dizimo do pobre, enquanto milhões de pessoas passam fome, enquanto os missionários sobrevivem de escassos salários em terras distantes.

6) Não existe mais separação do mundo.

7) A bíblia não é mais pregada expositivamente, os dons e as manifestações sobrenaturais como revelações e profecias e manifestações estranhas, ocupam o espaço do culto.

8) Musica barulhenta e manipulação psico-emocional são marcas distintas, nas igrejas apostatas.

9) Seus membros passam a sofrer lavagem cerebral ao invés de experimentar o novo nascimento.

10) Geralmente há uma abertura para o dialogo inter-religioso (neoecumenismo) e seus lideres estão envolvidos com sociedades secretas.

DESAFIOS QUE OS APOLOGETAS ENFRENTAM NO CONFRONTO COM OS FANATICOS.

0 comentários


1) É difícil de convencer que uma mentira é de fato mentira, quando a vitima está disposta a justificar sob todas as circunstancias de que se trata de uma verdade.

2) Desprogramar uma mente cativa pelo erro é muito mais difícil do que se pode imaginar. Uma pessoa é capaz de morrer por uma mentira que ele considera ser uma verdade suprema.

3) Uma vitima de lavagem cerebral não está disposta a acreditar que a bíblia desmascara um erro que ele confia ser uma verdade irrevogável.

4) Um fanático vai muito mais além do que a paciência dos comuns pode chegar.

5) A seita é uma química religiosa, onde o adepto se torna dependente.

6) O muro do fanatismo impede que o herético ultrapasse as barreiras da mentalidade reduzida.

7) Simples palavras não rompem um coração endurecido pelo pecado da heresia, portanto segue o principio de que um apologeta deve ser um homem de oração.

CJJ

A Distorção Mortal de João 17:3 de Atalaia

0 comentários


- Dan Córner -

Uma Escritura muito importante para as Testemunhas de Jeová é João 17:3, isto é, tal como se lê em sua estranha "Bíblia" chamada A Tradução Novo Mundo (TNM). Segundo sua tradução alterada a seu gosto, João 17:3, se lê da seguinte maneira:

Isto significa vida eterna, os que estão adquirindo um conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele a quem enviaste, Jesus Cristo (Negrito meu).

Por favor, note que não há nenhuma tradução de boa reputação que traduza esse versículo adquirindo conhecimento como o faz a TNM. Portanto, por que a Sociedade Atalaia mudou a forma em que este versículo deve ser lido e entendido? Porque concorda perfeitamente com o que eles estão tratando de declarar aos outros, isto é,somente a Sociedade Atalaia, localizada no Brooklin, Nova York, tem a habilidade espiritual para entender corretamente e ensinar as Escrituras com bastante precisão, e tudo está relacionado com obter vida eterna:

É necessário que você seja parte da organização de Jeová, faça a vontade de Deus, para poder receber Sua bênção de vida eterna. (Você pode viver para sempre no Paraíso na Terra [You Can Live in Paradise on Earth], 1982, p. 255)

Cinco Problemas

Fazendo esta falsa tradução de João 17:3 notamos os seguintes problemas para as Testemunhas de Jeová:

1. Contradiz sua própria tradução palavra por palavra em Grego-Inglès - The Kingdom Interlinear - o qual diz que eles devem estar conhecendo-te a ti portanto sugerindo com exatidão uma relação pessoal com Deus em vez de uma simples aprendizagem acadêmica acerca dele. Clique aqui para ver.

Jesus falou o seguinte a pessoas religiosas não salvas:

Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas que testificam de mim, contudo, não quereis vir a mim para terdes vida. (João 5:39,40)

Da mesma forma, nunca foi dito às Testemunhas de Jeová para confiar 100% em Jesus para sua salvação e pedir a ele (Jesus) em oração sincera pela água viva que promete dar:

Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. (João 4:10)

2. Sua história de mudanças em suas próprias doutrinas, rechaça o conceito de que as Testemunhas de Jeová do passado tinham conhecimento preciso. C.T. Russel ensinou que Jesus é todo-poderoso desde sua ressurreição (O Mistério Terminado, Associação Peoples Pulpit, 1917, p.15, comentários de Apocalipse 1:8) o qual está redondamente em oposição às Testemunhas de Jeová de nossos dias. Muitas outras mudanças doutrinárias semelhantes têm ocorrido desde seu início.

3. Inexatidões entre seus ensinamentos estão ocorrendo claramente na atualidade por sua própria admissão e mostra que um conhecimento preciso não está sendo disseminado nem praticado. Um exemplo claro é sua ênfase ao nome de Jeová, o qual contradiz com seu próprio ensinamento que Yah-weh é mais correto que Jeová.

Enquanto nos inclinamos a ver a pronúncia "Yah-veh" como a forma mais correta, conservamos a forma "Jeová" devido à familiaridade das pessoas com ela desde o século 14 (A Tradução Interlineal das Escrituras em Grego [The Kingdom Interlinear Translation of the Greek Scriptures], Edição de 1969, p.23)

Cada vez que uma Testemunha de Jeová usa a palavra Jeová, ele, portanto, mostra que está seguindo cegamente a exaltação da Sociedade Atalaia da familiaridade sobre a exatidão. Se sua estranha tradução da TNM de João 17:3 fosse verdadeira, estariam condenando-se a si mesmos cada vez que dizem a palavra Jeová, especialmente porque eles sabem e admitem que a palavra Jeová foi uma invenção de um monge católico em 1270:

Combinando os sinais vocais de 'Adho.nay e Elo.him' com as quatro consoantes do Tetragramaton, se formaram as pronúncias Yeho.vah e Yehowih. A primeira destas pronúncias resultou nas bases para a forma Latina "Jeova(h)". O primeiro uso registrado desta forma, data do século 13 d.C. Raymunds Martini, um monge Espanhol da Ordem Dominicana, o usou em seu livro Pugeo Fidei do ano de 1270. Os eruditos hebreus, geralmente estavam a favor de "Yahweh" como a pronúncia mais provável (Ajuda para o entendimento da Bíblia, Watchtower Bible and Tract Society, 1971, pp. 884, 885).

4. A palavra grega ginosko em João 17:3 significa saber. A Sociedade Atalaia, usando em seu lugar conhecimento e inserindo as palavras adquirindo, são capazes de propor a tradução desse versículo na TNM.

Se alguém comparar Mateus 1:25 com João 17:3 e notar que ginosko se encontra em ambos os versículos, ele poderia facilmente chegar à conclusão de que este termo tem um significado de intimidade e relação entre si. O fato é sugerido por ginosko.

5. Quanto conhecimento deve ter um pecador até que possa encontrar o perdão dos pecados e a vida eterna? Resposta: não muito. Para responder de maneira mais direta: - Quanto conhecimento tinha o carcereiro de Filipo antes de ser salvo, em Atos 16:30-34? Novamente a resposta é a mesma. E isto é tudo que necessitamos hoje em dia. (Para não irmos muito pela tangente, note também o quão rápido o carcereiro de batizou depois de sua salvação.) Outros exemplos do quão tão pouco conhecimento que uma pessoa necessita ter se mostram na conversão de Zaqueu (Lucas 19:1-9), o cobrador de impostos que orou com sinceridade: Deus, tem piedade de mim, pecador(Lucas 18:9-14), os mencionados sem nome conjuntamente com Cornélio que se salvou com o sermão real de salvação cintado em Atos 10:34:43, etc.

A Sociedade Atalaia está enganando pessoas sinceras com um estudo de sua própria literatura deturpando o significado de João 17:3. A pior parte de tudo isto para aqueles que são enganados é que eles têm deixado de perceber o verdadeiro significado da salvação mostrado na Bíblia e, portanto, permanecido não salvos e espiritualmente mortos em seus pecados.

A Salvação Bíblica

A verdadeira salvação bíblica e o perdão dos pecados vem de imediato para todos aqueles que abandonam os seus pecados e adquirem uma fé de confiança e sujeição ao Senhor Jesus, para a salvação de suas almas. Esta é uma salvação instantânea no mesmo ponto em que a vida eterna é recebida pela pessoa arrependida, que agora está disposta a apartar-se de seus ídolos para servir fielmente a Deus, até o final (1Tessalonicenses 1:9). A salvação final (ou a verdadeira entrada no Reino de Deus) vem a todos os que perseveram até o fim (Mateus 10:22), se mantém firmes até o final, na confiança que tiveram no princípio, (Hebreus 3:14), e se mantém fiéis até a hora da morte (Apocalipse 2:10,11). Muitos que encontram a salvação, depois perdem esse precioso presente através de certos pecados, crendo e ensinando um evangelho falso e desconhecendo ao Senhor Jesus durante um tempo de perseguição. Alguns recuperam sua salvação novamente e outros nunca a recuperam. Um sério estorvo para a salvação são os falsos profetas, o que é o escritório central Atalaia das Testemunhas de Jeová.

A vida eterna, além de ser uma esperança (Tito 1:2), ainda por ser ceifada (Gálatas 6:8,9) em um século vindouro (Marcos 10:30), é uma dádiva de Deus (Romanos 6:23) e uma possessão no tempo presente, para aqueles que têm o Senhor Jesus (1João 5:12,13). Portanto, ainda que a vida eterna se receba aqui e agora, neste lado do sepulcro, há também um aspecto que não é recebido, a menos que permaneçamos fiéis até o final. Para maiores informações acerca da salvação, consulte nossa página na internet, no seguinte endereço:

http://www.evangelicaloutreach.org/intnl.htm

Outros materiais pertinentes às Testemunhas de Jeová podem ser encontrados em:

Difusión de las Buenas Noticias

http://www.evangelicaloutreach.org/intnl.htm

Endereço:

P.O. Box 265, Washington, PA 15301-0265, USA