sábado, 29 de maio de 2010

SOBRE MILAGRES

0 comentários


MILAGRES

Resolvi, escrever este artigo, ele nasceu dentro de mim, e refleti sobre o assunto, depois que ouvi a alegre noticia de que minha cunhada estava curada de câncer. Ela passou por um processo doloroso de tratamento, com quimioterapia e radioterapia, e depois de muita luta com a doença e após prolongado tratamento, venceu a doença. Bem, no principio da doença e até o final na cura, muitas pessoas oraram por ela. Mas a cura não foi um milagre. Foi o resultado de um tratamento difícil e doloroso. Algumas pessoas podem até contrariar o que estou dizendo, mas gostaria de dizer que um milagre dentro da terminologia bíblia não é assim. Falo isso preocupado com a astúcia de alguém que se aproveitando da situação, chame então a minha cunhada para dar um “testemunho” de cura, porque alguém orou por ela, e se aproveite agora da situação para afirmar que ela recebeu a cura por intermédio de uma oração, tendo como resultado um milagre. Isso seria um cumulo, porque como já falei e volto a repetir, um milagre, dentro da perspectiva bíblica não ocorre assim. Eu quero ser um pouco mais claro, suponha que eu mesmo esteja com uma forte dor de cabeça, você ora por mim, e eu como iniciativa tomo um analgésico. Pergunto: houve um milagre? Sem duvida nenhuma que não! Não quero negar aqui que as orações auxiliaram no tratamento, pelo contrario, sei que ajudaram e muito, mas é diferente. Um milagre não é assim. Um milagre, viola as leis naturais, não atua de um modo convencional, mas de modo sobrenatural. Eu já cataloguei muitos testemunhos de milagres, creio em um Deus de milagres, dias atrás ainda conversei com um pastor, amigo meu, que falou sobre alguém da sua igreja que tinha problema de calculo renal, e após uma oração, foi expelido todos as pedrinhas calcinadas dos rins. Isso é milagre! Eu conheço uma irmã que levou seu filho morto para a igreja, numa reunião de oração das irmãs e seu filho ressuscitou! Isso é milagre! Certa vez estava com a garganta infeccionada, não conseguia engolir nem uma gota de saliva, mas minha esposa orou e recebi a cura na hora, isso é milagre!. Nosso filho Natanael nasceu quando minha esposa não podia ter filhos, isso é um milagre!

Os milagres de Cristo dispensaram tratamento, eles foram imediatos e quando não, em raras vezes quase que imediatos. Por isso ninguém deve bater sinos, afirmando em radio e televisão que essa pessoa foi a igreja tal, e o pastor orou e agora ela está curada. Isso seria manipulação, distorção da realidade, e caro irmão, ninguém jamais deve levar vantagem ou tirar vantagem encima da desgraça alheia, ou pelo menos agora encima da benção alheia.

Tem muitos trambiqueiros espirituais por ai, afirmando coisas insensatas, manipulando a realidade para se parecer o que não é. Existem muitos se aproveitando da crendice infantil dos outros para ganhar status e glorias pessoais. Infelizmente dentro da igreja se encontram muitos cérebros não pensantes, pessoas de fácil manipulação, porque não lêem a bíblia, não possuem o discernimento eficiente para separar o falso do verdadeiro, o joio do trigo. O engodo dos falsários lhes é proveitoso, como se fossem guloseimas, para a nutrir a espiritualidade superficial, tão comum entre os evangélicos modernos. Vamos nos voltar a bíblia, amá-la com mais vigor, ler e meditar e o mais importante, praticá-la. Jamais devemos nos enredar por lideres sem compromisso serio com Deus. Desses fuja o quanto antes, porque tais não estão preocupados com a sua alma, apenas com a sua presença no templo, para que você seja apenas mais um, para alimentar o egoísmo daqueles que estão preocupados com igrejas cheias de pessoas que possam sustentar as regalias de liderança descompromissada. Abram os olhos crentes.

CLAVIO JJ

SEIS COISAS PARA UM AMIGO CATÓLICO MEDITAR:

0 comentários




Primeiro- Batismo. O batismo por aspersão não é bíblico, e muito menos o pedobatismo (batismo de infantes) a ordem de Cristo é “quem crer e for batizado” primeiro se crer depois se batiza. Romanos 6:4 é claro: o batismo é um sepultamento. E se é sepultamento tem que ser por imersão. O padre José Raimundo Vidigal no comentário do novo Testamento traduzido por ele, e editado pela Editora Ave Maria, na nota de rodapé do capitulo 9 de João afirma: “nas antigas igrejas, o batistério(local do batismo) era uma piscina a qual se descia, para ser mergulhado na água” a própria palavra grega traduzida para batismo significa mergulho. Não se engane. Quem não obedece aos preceitos e princípios bíblicos, como pode agradar a Deus?

Segundo- Nós temos um advogado no céu, e somente um: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. (1Jo 2:1). Mas o “santo”Afonso de Ligório, no livro Glórias de Maria(Editora Ave Maria) ensina: “sua própria mãe por advogada e intercessora, e concedeu plenos poderes a fim de nos valer”. Ou o apostolo João blefou, ou Ligório não crê na bíblia. Além disso a bíblia é claríssima em ensinar que Cristo também é nosso intercessor: “Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. (Hb 7:25). Quem é o mentiroso, aquele que advoga a teoria sem fundamento bíblico de que Maria é intercessora e advogada, ou o Espírito Santo que inspirou a bíblia? Você decide!

Terceiro- Me assusta a declaração de Joseph Tissot, no livro “A Arte de Aproveitar as próprias faltas (Editora Quadrante) quando diz : “E como não existe doença espiritual que seja incurável nesta vida e nenhuma pode resistir ao tratamento da todo-poderosa Mãe de Deus, ela os curará” aqui está a prova cabal: o catolicismo vê Maria como uma todo-poderosa, ou seja simplesmente uma deusa. Isso contradiz o que Jesus afirmou: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. (Mt 28:18). Maria na bíblia é exemplo digno de humildade, ela reconhece ser serva, como atestou Lucas: “Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.” (Lc 1:38) “Porque atentou na baixeza de sua serva; Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lc 1:48)

Note bem a declaração de Maria, as gerações a chamarão de bem aventurada serva, não bem aventurada deusa...

Jesus é Todo Poderoso, não Maria: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.” (Ap 1:8)

Quarto- O mesmo Joseph Tissot mencionado acima, exorta seus leitores: “olha para Maria, pensa em Maria” isso contradiz claramente o Ensino bíblico: “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. (Hb 12:2) Pedro também exorta-nos a pensarmos em Cristo: “Ora, pois, já que Cristo padeceu por nós na carne, armai-vos também vós com este pensamento, que aquele que padeceu na carne já cessou do pecado” (1Pe 4:1)

Quinto- Joseph Tissot não para de desviar os católicos das verdades divinas, afirma que “Maria é o ministro plenipotenciário da misericórdia divina” bem, pelo menos Paulo o apostolo não pensava assim: “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, (Tt 3:5) aqui pelo menos Paulo via a misericórdia em Cristo. além disso é claríssimo o ensino de que Cristo é o nosso Sumo Sacerdote em Hebreus 4:15. e então o autor aos hebreus conclui: “Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno (Hb 4:16). Quem quiser contender, que contenda! A bíblia é clara em denunciar os desvios do catolicismo. É a Jesus que devemos recorrer sempre e não a Maria.

Sexto - Quem é o salvador, Cristo ou Maria ? qualquer pessoa que leia a bíblia de verdade e leve a sério o que nela esta escrito, vai responder que é Jesus , e com certeza é, pois assim está escrito: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” (At 4:12) isso é claro e preciso, para um cristão, mas que tal provar que a igreja católica não pensa assim? “São” Francisco narra em uma de suas crônicas, que um certo frei Leão teve uma visão de uma escada vermelha, em cujo topo estava Jesus Cristo, e havia outra escada branca e no topo estava Maria, alguns tentavam subir pela escada vermelha mas não conseguiam chegar no topo, caiam após alguns passos, mesmo tentando de novo. Essas pessoas que não subiam pela escada de cristo, foram aconselhadas a subir pela escada branca de Maria, e quando subiam chegavam ao topo felizes porque Maria estendia a mão para ajuda-las...” dispensa comentário maior do que esse, os carolas crêem mais nas distorções visionarias dos místicos do que na bíblia, Que Deus tenha misericórdia daqueles que estão sendo enganados pela falsa igreja...nossa esperança é JESUS CRISTO “Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.” (Hb 7:25). Aquele que se engana em questões de eternidade estará eternamente perdido. Você pode ser um desses enganados.

CLAVIO J. JACINTO

OS FINS NÃO JUSTIFICAM OS MEIOS.

0 comentários


Não há duvidas de que vivemos dias difíceis. Cada vez mais descobrimos cristãos outrora conservadores, aderindo ao espírito da apostasia reinante em nosso tempo. Faz bem pouco tempo, que na rua onde trabalho passou um carro de som anunciando a campanha da RCC, o “cerco de Jericó e o clamor de sete dias para derrubar as muralhas”, antes uma outra denominação em transição de conservadora para liberal, já havia iniciado a campanha das sete sexta feira, com direito a queimar pedidos no monte da oração. Eu me manifestei e disse que estavam copiando as liturgias da IURD, quando alguém se manifestou defendendo a campanha das sete sexta feiras e queima de envelopes no monte, porque dava certo, já havia cerca de 30 convertidos (tais já não sabem mais distinguir avivamento de avivalismo e convertido de convencido). Aqui está o grande perigo. Para o tal irmão, desde que estava dando certo, havia uma justificativa, ou seja, o fim justifica os meios. Se dá certo, então não tem problema, não importa se é superstição, o que importa é que dá certo. A teoria apostata de que o fim justifica os meios, é de origem maquiavélica, não evangélica, agora existe uma nova modalidade de cristão evangélica, existem arminianos, reformados, pentecostais e agora surge no cenário o evangélico maquiavélico, aquele que defende que os fins justificam os meios. Agora veja bem, a primeira vista, muitos se perecem conservadores, porque não fazem isso e aquilo, mas no campo das idéias já são liberais. A apostasia começa nas idéias. Fiquei estarrecido, não esperava ouvir de alguém que se apresentava como evangélico conservador, algo assim. Mas as coisas estão mudando. As inovações litúrgicas que conduzem as pessoas a crerem na força do fetichismo ou da superstição ao invés do poder do Espírito Santo, minam a base do cristianismo bíblico.

Eu quero ser um pouco mais claro em minhas colocações bíblicas, vamos a uma suposição, eu posso fingir ter recebido revelações num determinado lugar, sei que ali há um desviado e então eu posso me aproveitar da oportunidade para dizer ao desviado que tive uma revelação, o Senhor me mostrou que se ele não se reconciliasse iria morrer de forma terrível e por conseqüência de uma doença terrível. O pobre homem assustado se “reconcilia” eu posso computar, mais uma alma. Mas será que isso vai justificar a minha mentira?

Essa é o problema. A visão não pode ser obstruída pelo resultado. A questão não é o resultado mas a obediência. Veja bem no evangelho de Mateus 7:21 a seguir , Jesus descreve um tipo de ministério recheado dos mais sublimes êxitos, expulsão de demônios, profecias e sinais e prodígios. Note que o Senhor não disse que eram falsos, mas o contexto, a resposta do Senhor, é terrível: “E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” (Mt 7:23). Porque as pessoas não estão levando a sério as advertências da bíblia? Porque estão olhando para os resultados ao invés de olharem para a obediência?

Creio que muitas pessoas, estão lendo a bíblia como se fosse o jornal diário, ou num mínimo como um livro qualquer, e isso é perigoso, demasiadamente perigoso.

Biblicamente, os fins não justificam os meios, a obediência, a ortodoxia deve ser colocada em pauta, e não devemos nos corromper, porque uma vez que os danos são eternos, devemos tomar muito cuidado.

CLAVIO JUVENAL JACINTO

quinta-feira, 27 de maio de 2010

IUFD que seita é essa?

0 comentários

Existe na holanda desde 2001, e ainda não entendi porque ainda não chegou no Brasil a Igreja Universal dos fumantes de Deus. Não é brincadeira não! A igreja existe lá na Europa, tem adeptos. E eu que pensava que as extravagâncias religiosas só aconteciam por aqui e nos EUA, acabei descobrindo que essa tal de IUFD. Como sempre, onde reina a superficialidade religiosa, impera o modismo apostata. Para checar um pouco mais sobre esse assunto visite a pagina abaixo: Não quero roubar o mérito de outro apologista, vai lá clica e visita:

http://novoinprbrasil.blogspot.com/2010/05/igreja-universal-dos-fumantes-de-deus.html

Deus abençoe a todos!

BIBLIA A PALAVRA VIVA DE DEUS

0 comentários



Diz o autor aos hebreus que a palavra de Deus é viva e eficaz.(Hebreus 4:12) Nós encontramos muitos inimigos da bíblia no curso da nossa vida. Homens que se dispõem a atacarem as sagradas escrituras, a criticá-la e a levantar suspeitas sobre o livro sagrado. Infelizmente, usam um lado da moeda, o argumento mais comum são suas supostas contradições e lá no fundo do coração de muitos, o desejo sincero de repelir o livro sagrado e não aceitá-lo como livro divino, é porque a bíblia denuncia os pecados vis dos homens, desmascara a falência do humanismo, impõe a morte do orgulho humano como condição básica para receber o perdão de Deus, a maior parte da humanidade não aceita as escrituras. Mas eu estou vivendo meros quarenta anos, a metade praticamente vivendo a fé cristã. Durante todo esse tempo tenho visto maravilhas que a bíblia faz, coisas que nenhum outro livro foi capaz de fazer. Durante a minha peregrinação da fé cristã, bem no começo da minha fé, um amigo meu também se converteu. Ele era analfabeto, mas adquiriu a bíblia quando se converteu e aprendeu a ler sozinho, e tornou-se um estudante e praticante das doutrinas cristãs. Conheci um homem que era bêbado, vivia na sarjeta, como um trapo humano a ter seu corpo lambido pelos cachorros, mas ao conhecer a bíblia, e ir para uma igreja evangélica, mudou, começou a estudá-la com afinco, e hoje tem a dignidade e a família restaurada, conheci um detento, que era marginal perigoso, terrível, violento, mas começou a ler o novo testamento, as palavras começaram a penetrar no coração e ele teve uma mudança radical de vida. Conheci um mendigo, vivia no submundo da mendicância, um trapos humanos, maltrapilhos da sociedade, mas pregaram a palavra para ele. E começou a ler a bíblia e virou príncipe e pregador da palavra. Eu conheci outra pessoa que era atormentada por espíritos e por pensamentos ruins, tinha depressão, vivia uma vida miserável, mas conheceu a palavra de Deus, deu credito aos ensinos e promessas da bíblia, e se libertou de tudo o que atormentava a sua vida. Eu conheci outro pobre homem miserável, viciado, mas começou a ler a bíblia e se converteu, e hoje vive uma vida santificada. Mas não posso para a essas alturas, preciso fazer minha mente funcionar, estou escrevendo por inspiração, essa é uma matéria espontânea, e preciso concluí-la. Eu casamento desestruturado, onde o divorcio seria a alternativa mais viável, serem transformados pela unidade e o amor através da leitura da bíblia e as aplicações de seus princípios familiares. Eu vi jovens tímidos, se transformarem em missionários cheios da graça de Deus e da mais suprema coragem ao ponto do martírio, por causa da mensagem da salvação bíblica. Essas historias verídicas poderiam se multiplicar, se fosse dado o espaço para cada leitor contar suas próprias historias. Teriemos testemunhos de médicos, cientistas, professores, empresários e tantas pessoas dos mais diversos níveis culturais, que descreveria suas experiências de poder e de transformação da palavra de Deus. Isso é realidade, ninguém pode negar isso. A bíblia não decepciona uma pessoa que tem verdadeira fé. Ela tem sido a bússola a guiar jovens para fora do mundo do crime, tem sido o farol a guiar muitos casais para os domínios da fidelidade e dos compromissos familiares. Ela tem sido a esperança de muitos na provação e o consolo na hora da morte. Ela é a palavra viva de Deus, estude-a sem moderação, creia nela sem reservas, ame apaixonadamente seus ensinos e pratique-os com todas as forças da sua vida.


Clavio Juvenal Jacinto

Planeta X ou vinda de Cristo?

0 comentários




Quem pesquisa escatologia, conhece a teoria defendida por muitos esotéricos, sobre um certo planeta X, ou mais conhecido como Nibiru, um planeta misterioso, oculto aos olhos comuns que se chocara(?) com a terra em 2012. a teoria não é nova, ela já era defendida por alguns ufólogos veteranos, e também pode ser encontrada em escritos psicografados, de orientação espírita esotérica.

Na visão esotérica, Nibiru é um planeta “chupão” uma espécie de planeta purificador, que terá a missão de purificar a terra dos fluidos negativos, para muitos, nosso planeta precisa de uma varredura, uma espécie de faxina, para que seja implantada a nova era, ou uma era de ouro. Como podemos ver, a velha ladainha dos anos 90 se repetindo novamente, entre muitos grupos místicos apaixonados por escatologia bombástica. Assim como muitos pegaram carona nas profecias de Nostradamus acerca do ano 2000, muitos hoje também pegam carona nas profecias maias como relação 2012.

A crença nesse suposto planeta intruso e higienizador, segundo alguns pesquisadores remonta as religiões antigas, caldeus e babilônicos em particular.

Essas inovações escatológicas estão ai circulando na Internet, e ainda me lembro de um livreto, que era vendido nas bancas de jornal, que também falava sobre este suposto Nibiru, isso lá nos idos ferventes anos 90. Revistas ufológicas e esotéricas também têm dado espaço ao tema.

O cristianismo ensina as pessoas olharem para o céu, não para esperarem um suposto astro intruso, higienizador, ou seja, lá o que for. As profecias bíblicas apontam para a vinda de Jesus, que virá em breve, para dar cabo a toda essa confusão religiosa. É para Jesus que devemos olhar, é Ele quem devemos esperar, deve ser o retorno de Cristo o motivo da nossa atenção e do mundo deveria ser o motivo da verdadeira preocupação, pois ele vem buscar um povo santo, zeloso e de boas obras, mas também virá trazer juízo sobre todos aqueles que desobedecem ao evangelho. As pessoas estão sendo condicionadas a olharem para o calendário maia ao invés de olharem para o calendário profético bíblico, estão sendo alienadas para darem a atenção a um suposto planeta, misterioso, ao invés de olharem para aquele que virá em breve, o Senhor Jesus Cristo. Estejamos atentos, porque a nossa redenção está mais próxima agora do que antes. Nosso tempo é um tempo de atenção redobrada com relação ao perigo do engano, e de esforço redobrado na proclamação do evangelho.


CJJ

segunda-feira, 24 de maio de 2010

A BIBLIA E SUA VERACIDADE

0 comentários




A bíblia sempre teve os seus inimigos, e isso não é coisa nova. O imperador Diocleciano, já nos primórdios tentou destruir todos os manuscritos sagrados do cristianismo, se não fosse por essa ferrenha perseguição as sagradas escrituras, os documentos preservados, seriam tão numerosos, que nenhum pesquisador em qualquer época ousaria em sã consciência, opor-se as santas escrituras como documento exato e historicamente verídico. Ainda que não tenhamos todos aqueles manuscritos destruídos e perdidos, a bíblia é de longe, o livro mais evidente em provas documentais que existe no mundo. Cabe a todos os inimigos da bíblia passar ao crivo na mesma medida que fazem com a bíblia, a qualquer livro antigo, e o que esses intelectuais produzirão será um abismo de incertezas. A nova Enciclopédia Britânica classifica a bíblia como o livro mais influente da historia humana.(Vol 2 pag 194) cabe ressaltar que não é a “Origem Das Espécies” de Darwin, ou qualquer outro livro filosófico ou cientifico, mas a bíblia dos cristãos. O grande erudito bíblico, F. F. Bruce tem afirmado: “A bíblia tem desempenhado, e continua a desempenhar uma função extraordinária na historia da civilização. Muitas línguas foram postas pela primeira vez na forma escrita para que a bíblia, no todo ou em parte, pudesse ser traduzida para essa língua. E isso é senão uma pequena amostra da missão civilizadora da bíblia” (A Origem da Bíblia F. F. Bruce, CPAD, pág 23) para se ter uma idéia da realidade das palavras de F. F. Bruce, leia a biografia do missionário William Carey, por exemplo.

Não há duvidas que a bíblia também é o livro que por evidencias, está fundamentado em fatos históricos. O Dr Frederick Kenyon, paleógrafo e critico textual do Novo Testamento afirmou: “O cristão pode pegar a bíblia inteira em suas mãos e afirmar, sem temer ou hesitar, que esta segurando a verdadeira palavra de Deus. Transmitida ao longo dos séculos, de geração em geração, sem nenhuma perda essencial”

Pelo fato de ter evidencias suficientes para firmar a bíblia na posição de um livro verdadeiro, não devemos ousar temer defender esse livro sagrado. Pessoas de peso de conhecimento como o Dr William Ransey, mudou de opinião de contra a favor das escrituras depois de verificar com seriedade as provas arqueológicas a favor das escrituras sagradas. O Dr E. H. Brancroft comenta: “as descobertas arqueológicas provam que os povos, os lugares e os eventos mencionados nas escrituras são encontrados justamente onde as escrituras os localizam, no local exato e sob as circunstâncias geográficas exatas descritas na bíblia” (Teologia Elementar EBR pág 7). O Dr Charles Marston também comenta: “Basta fazer escavações na palestina e na Síria, na Mesopotâmia e no Egito para encontrar vastas ruínas de alguma antiga civilização a dar testemunho da veracidade dos acontecimentos narrados pelo Antigo Testamento. (Charles Marston, A Bíblia Disse a Verdade) outro pesquisador e arqueólogo, o DR Lous Frederic afirma: “embora estudiosos usem a arqueologia para dar veracidade a bíblia, a verdade é que a bíblia é o primeiro livro de arqueologia do mundo. Suas paginas narram a história dos primórdios da civilização” (A Arqueologia e os Enigmas da Bíblia, Dr Louis Frederic, Otto Pierre Editores) o cientista e apologista cristão Dr Henry Morris declara: “É muito importante lembrar que, a vista de grande quantidade de evidencias corroborativas referentes a historia bíblica desses períodos, não existe hoje nem uma descoberta inquestionável da arqueologia que prove que a bíblia esteja errada em algum ponto.” Veja bem, um dos livros mais atacados da bíblia é o livro de Gênesis, no entanto, Charles Marston, já citado nesse estudo nos esclarece: Todavia na penumbra dos atuais estudos históricos, as tabuinhas de argila com caracteres cuneiformes vem atestar a veracidade dos primeiros livros da bíblia” Marston vai mais longe. Ele atesta que o monoteísmo era uma crença primitiva, dos primórdios da humanidade, e que o cristianismo, ainda que tenha suas raízes no judaísmo, tem elementos religiosos que antecedem, ou sejam são bem mais antigos que a época de Moisés” (Charles Marston, idem pagina 45) agora devemos levar em conta, os princípios negativos, o primeiro já citado no inicio deste estudo,é a destruição de manuscritos por perseguição religiosa. Se o imperador romano Diocleciano não tivesse destruído tantos manuscritos, as evidencias seriam ainda mais amplas. Devemos levar em conta ainda outro principio negativo, somente 2% dos sítios arqueológicos existentes em terras bíblicas foram explorados, e dentro desses 2%, muito material se perdeu, porque no começo das escavações, muitos exploradores não davam importância aos cacos de cerâmicas com inscrições, e foram completamente destruídos, deixando vasar para o desconhecido muitas informações de grande importância para o estudo da antiguidade.

Cremos na bíblia como livro divino, inspirado e preservado, um livro especial e distinto dentre os demais, uma mensagem de esperança está contido nele, a bíblia é um livro de graça, antes de ser um livro de juízo, é um livro de perdão antes de ser um livro de condenação. Os inimigos da bíblia, tem o direito de rejeitar esse livro, de criticá-lo e de combatê-lo, podem fazê-lo sempre no limite do direito que exercem no atual estagio de existência, sempre levando em conta um fator determinado pelo próprio Deus, serão enfim eternos derrotados, porque está profetizado: “Para sempre, ó Senhor, a tua palavra permanece no céu.” (Sl 119:89)

CLAVIO J. JACINTO

ADORADORES DE ROEDORES

0 comentários



Na terra dos milhões de deuses, nem o rato escapa de uma reverencia e uma adoração. Em Deshnok, na índia há um templo chamado de Karni Mata, ali é reverenciado e adorado o rato. Os ratos são considerados como deuses, e são considerados como a reencarnação de pessoas santas, e portanto andam livres pelo templo, vivem na regalia de terem além de adoradores, também uma bacia de leite, onde podem beber a vontade. O auge dessa devoção seria a possibilidade de um adorador dos ratos poder beber pelo menos um pouco de leite consagrado aos ratos. O resultado, como descreve a revista Mundo Estranho, não é nada milagroso! Contaminação por bactérias, leptospirose, doenças infecciosas e morte.

São dignas de nota as palavras proféticas de Paulo o apostolo: “Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.” (Rm 1:25)

Fonte: Revista Mundo Estranho Agosto de 2009

JESUS VAI VOLTAR EM 2011?

0 comentários


Foi nos idos anos de 1990, que o Taiwanês Chen Hon Ming, líder de uma seita apocalíptica, anunciou que Jesus voltaria em 1999 a bordo de um disco voador. Refrescando mais a memória, que tal o ano de 1992? Foi nesta época que pelo menos dois profetas dito “evangélicos” também anunciuaram a vinda de Jesus e o arrebatamento da igreja, do lado oriental, o profeta Bang-Ik-Há, da Missão Mundial Taberah, e pelo lado de cá do oceano Eliphas Levi Ferreira, da Missão Evangélica Boas Novas, este ultimo previu o arrebatamento para dezembro de 1992, o profeta oriental, foi um pouco mais apressado, marcou para outubro daquele mesmo ano. Como era de esperar, o fiasco vem sempre acontecendo, um após o outro, mas o homem nunca aprende a lição, e continua a marcar datas para o arrebatamento e a vinda de Jesus. Agora é a vez de Harold Camping, que por sinal já errou uma vez, e entra em cena novamente. Líder da Family Radio e autor de vários livros, inclusive alguns traduzidos para o português, Camping já marcou a data do arrebatamento: 21 de maio de 2011, quase um ano antes do fatídico 2012, e é esperar para ver, porque realmente crer, vai ser muito difícil. No meio de toda essa confusão que circula por ai de calendário maia, teoria da conspiração e tantas coisas mais, sempre recheada com fortes boatos de Internet, nosso mundo segue em frente. Jesus virá sem duvida, e esses sinais são bem legíveis em anunciar que um mundo tão confuso, somente quem tem apoio nas escrituras e crê na esperança da vinda de Jesus tem um suporte seguro, para continuar vivendo nesse mundo cheio de embaraços. Mas marcar datas é sempre ir alem do que está escrito, como ensinou o apostolo Paulo: “E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.” (1Co 4:6). Porque não obedecer as escrituras? Porque extrapolar e manipular os textos bíblicos, fazer cálculos confusos ou ir atrás de sonhos e visões e deixar-se enganar e enganar os outros? Infelizmente muitos que se dizem cristãos além de ignorar o fracasso de todos os que já tentaram antes marcar datas para o advento de cristo, e ignorarem o que Jesus falou a respeito desse assunto, continuam arriscando números como se a escatologia fosse uma espécie de loteria cósmica. Estejamos atentos, porque o surgimento de pessoas que marcam arrebatamento, advento de Cristo ou o fim do mundo, para datas especificas, sempre serão candidatos fortes para serem falsos profetas, como predisse o próprio Senhor Jesus. “Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.” (Mt 24:24) “Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.” (1Jo 4:1)

Clávio Juvenal Jacinto

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Origem das luzes de natal

0 comentários




Um dos mais terríveis problemas que os cristãos enfrentam, é o desafio de evitarem completamente os elementos pagãos, como modelo litúrgicos. Nosso mundo tenta obscurecer as verdades fundamentais das escrituras, através de um processo de desvio da verdade através da implantação de mitos no seio do cristianismo. Isso é um processo de paganização oculto, que por fim tem o objetivo de minar as bases da fé cristã, ou colocar a verdade bíblica, lado a lado com o mito e o absurdo, para logo em seguida transmitir ao subconsciente que ambas são a mesma coisa. Exemplo o natal e o Papai Noel, garoto propaganda da Coca Cola, esse mito está intimamente ligado ao marketing do natal, uma vez que a pessoa descobre que Papai Noel é um mito, terá tendências de descrer também da essência: a existência de Jesus Cristo. Assim acontece também com a páscoa, nada tem a ver com ovos e coelhos. É a força do mito, que prevalece em muitas culturas, e quando o cristianismo se corrompe, e os cristãos também, a tendência é assimilar os costumes pagãos. Quando um cristão adota costumes pagãos, ele se torna menos cristão e mais pagão, trilha assim, o perigoso caminho da apostasia, do desvio espiritual. Isso acontece diante de nossos olhos, cada vez mais. Pessoas ignorantes e despreparadas ocuparam os púlpitos conservadores no passado, condenavam certas coisas que eram pecado, e agora adotaram aquilo que antes condenavam. Porque isso acontece? Porque eram ignorantes, despreparados para exercer o ministério do púlpito cristão, defendiam o que nem sequer sabiam ser verdade ou não. Vou citar um exemplo claro. Grande parte dos lideres pentecostais conservadores, era completamente contrario ao uso de presépios, imagens de “papai Noel” e piscas piscas coloridos, pois consideravam isso como costume pagão e mundano, mas hoje adotam esse costume, conheço alguns que fazem isso descaradamente. São ignorantes ou apostatas? Talvez os dois. Qual é a origem dos piscas coloridos e das arvores de natal? Tais precisam saber, porque muitos fazem por ignorância, não sabiam o que defendiam e agora não sabem o que fazem, que lastima, que vergonha...

Deixamos que o Dr Messias Valverde explique o costume dos piscas e arvores de natal, fique a vontade, e tire as suas conclusões: “foi por inspiração desses povos (os pagãos) que os missionários cristãos adotaram o pinheiro como arvore oficial do natal, por possuir uma copa com dimensões piramidais e por serem as únicas folhagens que conseguiam resistir ao rigor do inverno. Inspirados nas antigas fogueiras nórdicas, passaram a iluminá-las com velas, fato que deu origem a atual arvore de natal iluminada. Alem da iluminação da arvore de natal, algumas cidades brasileiras como recife e Olinda, passaram a desenvolver a tradição de acenderem luzes coloridas nas janelas e varandas das casas, no momento em que os sinos da igreja começassem a tocar. Essa tradição foi se espalhando por outras cidades, dando origem a iluminação especial que se processa hoje na maioria das cidades, as vésperas das celebrações natalinas.”

Como você pode observar, o costumes das luzes de natal, nada tem a ver com as escrituras e tudo tem a ver com o paganismo e o mundanismo. Para o cristão apostata e relativista, isso não faz muita diferença e não tem muita importância. Para quem quer levar o cristianismo a sério, esses costumes devem ser evitados, pelo simples fato de que a bíblia não ensina que devemos adotar tais costumes pagãos, mas evita-los por causa de suas implicações idolátricas, mágicas e ocultistas, próprias das religiões de mistérios que se desenvolveram nos primórdios da civilização de Caim, no alvorecer da humanidade.

E não andeis nos costumes das nações que eu expulso de diante de vós, porque fizeram todas estas coisas; portanto fui enfadado deles. (Lv 20:23)

Porque os costumes dos povos são vaidade; pois corta-se do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, feita com machado; (Jr 10:3)

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Rm 12:2)

CLAVIO JUVENL JACINTO

BIBLIOGRAFIA

Liturgia e Pregação, Messias Valverde, Exodus Editora SP 1996 pag 72

O Natal, Isabel de Almeida Serrano. Editora vozes Petrópolis RJ 1988

Bíblia Sagrada SBTB

O MAIOR TESOURO

0 comentários

Porque onde estiver o vosso tesouro, ai estará o vosso coração( Mateus 6:21). Essas são as palavras de Jesus. Elas são profundas no sentido de que o homem não costuma colocar o coração nas coisas espirituais, ou nas coisas mais preciosas do ponto de vista bíblico. Nosso coração sempre focaliza as coisas daqui, e tentar mudar esse foco é difícil, vai contra todas as expectativas mundanas, vai contra o estilo de viver e pensar da sociedade. Deslocar nosso coração é difícil, a mulher de Ló, não conseguiu tirá-lo de Sodoma, Judas não conseguiu tirá-lo da ganância, Ananias e Safira não conseguiram tirá-lo do amor ao dinheiro, assim como também aquele jovem rico, que se propôs seguir a Jesus, não o pode. Você nota como é difícil? Mas é assim que funciona as coisas na dimensão espiritual. O nosso coração precisa estar lá na pátria celeste, nossos olhos interiores, precisam estar fixos no Senhor da glória. “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus.” (Hb 12:2)

Vejamos como é difícil obter esse tipo de visão. Nós estamos sempre olhando o problema, o obstáculo, e sempre vimos de forma com que a nossa incredulidade seja uma lupa, aumentando até mais do que é comum. Olhamos e vimos as coisas como elas não são. Mas quando o nosso foco é o céu, quando encontramos nosso tesouro lá, quem poderá removê-lo ao ponto de ameaçá-los? Os ladrões e os bandidos desse mundo não estão interessado neste tesouro. Os fundamentos de nossas riquezas não são efêmeros, são duradouros e reais. Os mundanos não podem vê-los, os poderosos não podem tocá-los, e os imperadores não podem avaliá-los.

Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus. (Hb 11:10). A eternidade é a marca dos tesouros divinos. Tudo aquilo que tem origem em Deus, é pleno de glórias infinitas. Essas riquezas são nossas riquezas, elas estão concentradas em Nosso Senhor Jesus Cristo. “Tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos;” (Ef 1:18) “Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus.” (Ef 2:7) “A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo” (Ef 3:8)

Que o nosso coração possa estar atento, focalizado em Cristo, agora e para sempre.

CLAVIO JUVENAL JACINTO

SOBRE A ILUMINAÇÃO ESPIRITUAL

0 comentários

A verdadeira iluminação espiritual

A maior parte das pessoas já ouviu sobre o conceito “iluminação espiritual” esse foi um termo comum e ainda é comum entre místicos, simpatizantes de religiões orientais etc. alguns até explicam ou defendem meios para obter a “iluminação espiritual” técnicas como ioga, meditação, repetições de formulas verbais, etc e etc. o conceito de iluminação espiritual é bem conhecido no budismo, esoterismo e até mesmo ocultismo. Há três fontes de iluminação espiritual, a primeira tem sua fonte divina, há a farsa, de origem diabólica e a humana, puramente natural, já que o homem é um ser religioso, com poderes latentes na alma. A iluminação espiritual esotérica e ocultista, tem suas fontes no misticismo ocultista e nas religiões orientais. A própria advertência divina de que Satanás se transfigura em anjo de luz, já é suficiente para alertar cada pessoa, sobre a fonte da sua iluminação. “E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.” (2Co 11:14)

A verdadeira iluminação espiritual vem através do evangelho, não através de técnicas esotéricas ou místicas como muitos querem propor. Qualquer fonte de luz fora de Deus deve gerar desconfiança, e acima de tudo deve-se ter muito cuidado. Até mesmo aquela luz que tenta brilhar dentro de nós, através de técnicas de meditação ou de outros exercícios e praticas ocultistas deve ser completamente evitado, porque é perigoso. O Dr Edward Bach, criador dos famosos florais de Bach, por exemplo, ensinava algo completamente perigoso, ele afirmava: “todo o verdadeiro conhecimento vem apenas de dentro de nós mesmos, através da comunicação silenciosa com a nossa alma” e ainda “precisamos muito voltar a crer que dentro de nós repousa toda a verdade, precisamos lembra que não necessitamos de conselhos e ensinamentos, exceto aquele que vem de dentro de nós”. Bach está ensinando uma espécie de iluminação que se oriunda de dentro de nosso ser e nos leva a conhecer a “verdade”. A essência do movimento esotérico ocultista que propõe a iluminação espiritual, é antibiblica e anticristã, ela se opõe ao modo bíblico da iluminação espiritual, e vai contra toda a mensagem do evangelho. Bach afirma: “Buda nos ensinou que todos nós estaríamos no caminho da auto-realização se nos livrássemos dos sacerdotes e dos livros”. A busca para uma verdade fora da bíblia é um engano, veja você mesmo, que os místicos de plantão, sobreviventes na periferia do mundo caído, acabam se contradizendo, um dos movimentos que mais investem em literatura, são os esotéricos e os ocultistas.

O apostolo Paulo nos afirma categoricamente: “Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. (2Co 4:4).

Leia novamente o versículo, primeiro Paulo nos ensina que o deus desse século cega. A cegueira espiritual é complexa, de maneira sutil, a iluminação espiritual falsa cega o homem, ao invés de conceder visão da verdadeira realidade das coisas espirituais. Paulo então conclui “para que não resplandeça a luz do evangelho de Cristo” e então ele expõe de forma clara a fonte dessa luz espiritual: “da glória de Cristo, que é a imagem de Deus” a verdadeira luz concede verdadeira iluminação. E a verdadeira tem sua fonte em JESUS CRISTO, NOSSO SENHOR. Qualquer outra fonte é falsa, e conduz o homem a cegueira e ao erro. Nesses dias onde o tema está popular, que os verdadeiros cristãos estejam atentos para proclamar que Jesus é a luz do mundo, como ele mesmo proclamou: “Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.” (Jo 8:12)

Clávio Juvenal Jacinto,

Nota: a fonte das citações do Dr Edward Bach foi o Boletim da FEEU inverno de 1998 pag 27

A Nova Ordem Mundial - Suas Origens

0 comentários



A idéia de uma Nova Ordem Mundial não é nova, ela está implícita nos ideiais políticos de antigos monarcas. Já nos primórdios da humanidade, lá no inicio, na torre de Babel, já estava manifestada esta idéia. Lemos no livro de Gênesis: “E o princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar. (Gn 10:10). Na terra de Sinar, houve a primeira tentativa de unificar toda a humanidade debaixo de um governo único e absoluto. A torre que se estendia ao céu, seria uma espécie de cidade, uma capital mundial, uma acrópole administrativa, onde todos os reinos do mundo pudessem ser controlados debaixo de um jugo de um governo único, unificado religiosamente e politicamente. Essa unidade dos povos, além de secular, é praticamente antibiblica. Na verdade sua essência é a independência de Deus. “E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.” (Gn 11:4). Havia um propósito comum entre todos: a unidade. Esse era o grande desafio: colocar todos os povos sob um domínio absoluto, e apresentar-se como uma sociedade auto-suficiente. A humanidade seria assim no seu estado coletivo, como uma divindade. Babel estava fazendo o que o próprio satanás tentou fazer. “E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. (Is 14:13). Veja o paralelo, Babel também queria subir, chegar até o céu, e provavelmente ocupar um lugar de autoridade política e espiritual. Mas o intento falhou, o Senhor do seu trono, desfez o intento babélico, e seus projetos caíram por terra. A NOM, como vimos hoje, se proliferando como um ideal a ser alcançado pelas nações, terá também seu fim súbito. Trata-se de uma demagogia, é a mítica utopia ainda viva na esperança do homem sem Deus, que anda em busca da auto-suficiencia e um estilo de vida sem Deus.

“Porém tu és lançado da tua sepultura, como um renovo abominável, como as vestes dos que foram mortos atravessados à espada, como os que descem ao covil de pedras, como um cadáver pisado. (Is 14:19).

Os projetos satânicos por fim cairão por terra, como caíram no passado, nos tempos eternos e na terra de Sinar. O tempo revelará que o projeto utópico e tirano de uma Nova Ordem Mundial falhará, porque não será do homem todos os reinos desse mundo, não será de um político tirano e não será de qualquer governo mundial. “E o sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre. (Ap 11:15). Eu creio nesta gloriosa profecia. Maranata, vem Senhor Jesus.

Clávio J. Jacinto

segunda-feira, 17 de maio de 2010

0 comentários

UMA TERRA OCA?

A teoria da terra oca, foi definida e defendida por Raymond Bernard, conhecido cientista. Bernard escreveu artigos e livros, um deles editado no Brasil alguns anos atrás pela Editora Record : A Terra Oca.
A definição geral dessa teoria é que a terra tem um imenso mundo subterrâneo onde vive uma super raça, a entrada para esse mundo subterrâneo se encontra no pólo norte. Bernard a partir dessa teoria desenvolve então uma outra: a de que os OVNIS, não seriam de origem extraterrena mas intraterrena, ou seja seriam daqui mesmo dessa terra, e seriam oriundos de submundo intraterreno. Mais tarde até mesmo grupos esotéricos, adotaram a idéia, para desenvolverem suas doutrinas. Para Bernard, essa raça não deseja contato com os homens da superfície, e as aparições dos OVNIS se deram após a segunda guerra mundial, quando foi então usado armamento atômico para fins bélicos. As idéias da terra oca parecem remontar escritos esotéricos, e no livro “A Terra Oca” se faz citação, por exemplo, do reino misterioso e mítico de Agartha. Na tradição esotérica tibetana, Agartha tinha como capital a cidade de Shambalah. Para os esotéricos e ocultistas, é nessa cidade que vive a “grande fraternidade branca”.
A teoria no mundo esotérico defende que havia um contato entre Agartha e o antigo Egito, e que os magos egípcios tinham contato com essa super raça. Ora os egípcios eram inimigos do Deus de Abraão Isaque e Jacó, e tinham como símbolo religioso, a serpente. Isso leva qualquer cristão a ficar desconfiado...
A bíblia não diz nada sobre esse assunto, e pelo que podemos observar, não apóia tal idéia. A começar por um exame minucioso dos ÓVNIS, parece serem metafísicas, manifestações espirituais, e não de uma super raça intraterrena. Nos casos bíblicos em que a terra se abre nas escrituras, vimos o fogo do interior, como no caso de Aça, e em apocalipse 9, quando vimos que saiu fumaça, e o que pode ser considerado como demônios para atormentar os homens. De qualquer forma, não há evidencias aqui de que sejam raças adiantadas, mas seres ferozes e malignos. Os antigos judeus criam num mundo subterrâneo, mas esse era chamado de sheol, não era um mundo físico, nem mesmo o mundo de uma super raça, superior em tecnologia e espiritualidade. Por isso, nada tem a ver com a teoria de Raymond Bernard.
Ficamos com a bíblia e atentos para a nossa pátria celestial.

Jesus em breve voltará


CLAVIO J. JACINTO

Origens pagãs dos costumes natalinos

0 comentários

Um dos mais terríveis problemas que os cristãos enfrentam, é o desafio de evitarem completamente os elementos pagãos, como modelo litúrgicos. Nosso mundo tenta obscurecer as verdades fundamentais das escrituras, através de um processo de desvio da verdade através da implantação de mitos no seio do cristianismo. Isso é um processo de paganização oculto, que por fim tem o objetivo de minar as bases da fé cristã, ou colocar a verdade bíblica, lado a lado com o mito e o absurdo, para logo em seguida transmitir ao subconsciente que ambas são a mesma coisa. Exemplo o natal e o Papai Noel, garoto propaganda da Coca Cola, esse mito está intimamente ligado ao marketing do natal, uma vez que a pessoa descobre que Papai Noel é um mito, terá tendências de descrer também da essência: a existência de Jesus Cristo. Assim acontece também com a páscoa, nada tem a ver com ovos e coelhos. É a força do mito, que prevalece em muitas culturas, e quando o cristianismo se corrompe, e os cristãos também, a tendência é assimilar os costumes pagãos. Quando um cristão adota costumes pagãos, ele se torna menos cristão e mais pagão, trilha assim, o perigoso caminho da apostasia, do desvio espiritual. Isso acontece diante de nossos olhos, cada vez mais. Pessoas ignorantes e despreparadas ocuparam os púlpitos conservadores no passado, condenavam certas coisas que eram pecado, e agora adotaram aquilo que antes condenavam. Porque isso acontece? Porque eram ignorantes, despreparados para exercer o ministério do púlpito cristão, defendiam o que nem sequer sabiam ser verdade ou não. Vou citar um exemplo claro. Grande parte dos lideres pentecostais conservadores, era completamente contrario ao uso de presépios, imagens de “papai Noel” e piscas piscas coloridos, pois consideravam isso como costume pagão e mundano, mas hoje adotam esse costume, conheço alguns que fazem isso descaradamente. São ignorantes ou apostatas? Talvez os dois. Qual é a origem dos piscas coloridos e das arvores de natal? Tais precisam saber, porque muitos fazem por ignorância, não sabiam o que defendiam e agora não sabem o que fazem, que lastima, que vergonha...
Deixamos que o Dr Messias Valverde explique o costume dos piscas e arvores de natal, fique a vontade, e tire as suas conclusões: “foi por inspiração desses povos (os pagãos) que os missionários cristãos adotaram o pinheiro como arvore oficial do natal, por possuir uma copa com dimensões piramidais e por serem as únicas folhagens que conseguiam resistir ao rigor do inverno. Inspirados nas antigas fogueiras nórdicas, passaram a iluminá-las com velas, fato que deu origem a atual arvore de natal iluminada. Alem da iluminação da arvore de natal, algumas cidades brasileiras como recife e Olinda, passaram a desenvolver a tradição de acenderem luzes coloridas nas janelas e varandas das casas, no momento em que os sinos da igreja começassem a tocar. Essa tradição foi se espalhando por outras cidades, dando origem a iluminação especial que se processa hoje na maioria das cidades, as vésperas das celebrações natalinas.”
Como você pode observar, o costumes das luzes de natal, nada tem a ver com as escrituras e tudo tem a ver com o paganismo e o mundanismo. Para o cristão apostata e relativista, isso não faz muita diferença e não tem muita importância. Para quem quer levar o cristianismo a sério, esses costumes devem ser evitados, pelo simples fato de que a bíblia não ensina que devemos adotar tais costumes pagãos, mas evita-los por causa de suas implicações idolátricas, mágicas e ocultistas, próprias das religiões de mistérios que se desenvolveram nos primórdios da civilização de Caim, no alvorecer da humanidade.

E não andeis nos costumes das nações que eu expulso de diante de vós, porque fizeram todas estas coisas; portanto fui enfadado deles. (Lv 20:23)

Porque os costumes dos povos são vaidade; pois corta-se do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, feita com machado; (Jr 10:3)

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Rm 12:2)


CLAVIO JUVENL JACINTO


BIBLIOGRAFIA

Liturgia e Pregação, Messias Valverde, Exodus Editora SP 1996 pag 72

O Natal, Isabel de Almeida Serrano. Editora vozes Petrópolis RJ 1988

Bíblia Sagrada SBTB

sábado, 15 de maio de 2010

Sacrificiosde crianças

0 comentários


Um deus pré-colombiano parecido com moloch






Havia entre os antigos mexicanos estranha cerimônia, que eles chamavam “comer o deus” faziam um imenso bolo representando seu deus Huitzilopochtil, e cada homem recebia um pedaço para comer. Mas a mais curiosa e a mais revoltante parte da cerimônia estava na preparação do tal bolo, a massa era preparada de farinha de milho, misturada com sangue de crianças.
(Estranhas Crenças do homem Antigo pág 320 e 321)

O misterioso Maitreya

0 comentários





imagens de uma mão na vidraça e aparições de cruzes atribuidos a Maitreya






Benjamim Creme, é conhecido internacionalmente por ser um porta voz declarado, do Maitreya. Creme e a figura de maitreya já ficaram conhecidas em dacadas passadas, por causa do advento do movimento nova era que teve repercussão mundial, uma espécie de avivamento do ocultismo místico e do paganismo. Creme dirige a Share International, revista que promove os ensinos do Maitreya. Na visão de muitos adeptos da nova era, Maiterya é um mestre Ascenso, um patrono do planeta, uma espécie de “novo Cristo”. para outros ele é o novo senhor do mundo, e deve aparecer em breve, para instituir a idade de ouro. no site da Care International pode se notar as manifestações sobrenaturais desse tal Maitreya. São cruzes de luz, aparições estranhas, a mais destacada em Nairobi, Quênia. Recentemente um adepto descobriu as marcas de uma mão em uma vidraça, Creme, alem de idenficar a marca com a mão de Maitreya, comparou a marca como de importância tão relevante quanto o sudário de Turim. Envolto em manifestações sobrenaturais, assim como também é envolto nos mistérios sobrenaturais, outro personagem mundialmente conhecido, o indiano Sai Baba, as manifestações desse misterioso Maitreya, é o prefacio das coisas sobrenaturais que surgirão no horizonte dos últimos dias.
Nesses dias difíceis em que estamos vivendo, onde o sobrenatural cada vês mais vem se manifestando, se faz relevante lembrar que cada vez mais o sobrenatural dominará este orbe maduro para o juízo, os prognósticos bíblicos com relação aos últimos dias é muito claro ao apontar para um engano a nível mundial, que desafiará o discernimento espiritual de muitos cristãos maduros. Jesus falou que até os escolhidos estariam no alvo do engano dos últimos dias. E isso deveria colocar os cristãos em estado de alerta. As igrejas, os pastores e lideres espirituais precisam se despertar para os dias de enganos, dias trabalhosos e difíceis, onde a complexidade do engano ganha terreno nesse mundo, de forma alarmante. Estejamos alertas, porque não foi sem preocupação que Jesus advertiu e ensinou muito sobre a vigilância espiritual. Também chamado de o “cristo cósmico” Maitreya é esperado por muitos como o novo cristo, ou um novo messias. Maitreya joga no mesmo time de Gautama o Buda, e de Saint Germain, e outros mestres ascensos da grande fraternidade branca. Maitreya como um novo Cristo, não virá num corpo físico, explica alguns, mas num corpo etéreo. Maittreya portanto é um deus diferente, que virá de uma forma diferente, isso não deveria gerar desconfiança em quem crê nas escrituras?


CLAVIO JUVENAL JACINTO

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Evangelizar é preciso

0 comentários


Apresento aos irmãos, que gostam de gravar CDs e DVDs para evangelizar:

Em Defesa do Movimento Pentecostal

0 comentários

SOBRE O MOVIMENTO PENTECOSTAL

De evangélico para evangélicos

O Dr D.M. Lloyd-Jones, foi um renomado pregador batista conservador, ele observou em uma de suas obras, que a leitura de um livro, chamou a sua atenção quando o autor definiu a frase: “ toda instituição tende a produzir o seu oposto”. Ele então observa que o principio é correto, quando aplicado as denominações protestantes. Lloyd-Jones então concluiu “A posição da maioria das igrejas protestantes hoje , é quase exatamente o oposto da sua posição quando, originariamente vieram a existir”.(1)se principio é verdadeiro e observável em quase todas as denominações, seja elas históricas ou pentecostais. Essa observação vem de um batista de posição teológica de excelente qualidade. E se for aplicada na questão dos dons espirituais e sua cessação Na medida em que os apóstolos desapareceram, explica com muito equilíbrio, porque que os dons desapareceram. É em vão fazer apologia contra o movimento pentecostal, usando a bíblia, porque não há versículos bíblicos que apóiem a cessação dos dons. Tudo o que se pode fazer, desde que se rejeite a atualidade dos dons, é desenvolver pressuposições, para se chegar a uma conclusão a que se deseje chegar, e não numa conclusão definitiva do que a bíblia deseja ensinar. Lloyd-Jones, traz em suas observações desse principio o que pode ter ocorrido na igreja primitiva, o desaparecimento dos dons, não porque eles cessariam, mas porque os novos supervisores do cristianismo pós apostólico, introduziram uma mentalidade oposta, aos dons espirituais. O Dr Roger Olson faz a observação conclusiva: “Numa reação contra os excessos e as reindivicações exclusivas de Montano e de seus seguidores, os lideres da igreja procuraram se apoiar cada vez menos em manifestações verbais sobrenaturais, como línguas, profecias e outros dons, sinais e milagres sobrenaturais do Espírito. Finalmente tais manifestações carismáticas passaram a ser injustamente, tão identificadas com Montano e o cisma montanista que quase se extinguiram sob a pressão de bispos temerosos e dos imperadores cristãos posteriores”(2). R N Champlim argumenta, embora pareça ser desfavorável ao pentecostalismo: “não há qualquer razão dogmática para pensarmos que as línguas e outras manifestações espirituais tenham o propósito de desaparecer da igreja cristã, no esquema divino, ou que tais manifestações não se revistam de grande valor na igreja moderna”(3)
A cessação dos dons aconteceu porque o formalismo se iniciou e não porque eles deveriam cessar. Não há apoio bíblico para crer que os mesmos deveriam cessar após a morte dos apóstolos,não há como provar isso pela bíblia. Mesmo assim muitos cristãos anti-pentecostais tem lançado mão de uma apologia pobre e até mesmo injusta, para condenar o movimento pentecostal genuíno. A W Tozer advertiu: “ por toda uma geração, certos mestres evangélicos nos tem dito que os dons de Espírito cessaram por ocasião da morte dos apóstolos, ou quando se completaram o novo testamento. Certamente essa doutrina não tem a seu favor sequer uma silaba de autoridade bíblica. Os que defendem tal idéia devem assumir inteira responsabilidade por essa aberrativa manipulação da palavra de Deus”(4)
Infelizmente muitos apologetas são incapazes de separar o joio do trigo, e fazem uso do joio, para condenar tudo debaixo de uma maldição teológica terrível: Falar em línguas é coisa do demônio. Por favor, sou sincero em afirmar que amo muito os cristãos não pentecostais, sou muito favorável a leitura de compêndios teológicos e escritos de cristãos fundamentalistas não pentecostais. Tenho uma estima muito grande por batistas bíblicos, metodistas conservadores e presbiterianos, os materiais publicados por todos são excelentes,tenho ouvido pregações maravilhosas e tanta coisa aprendi lendo os livros da Editora Fiel, Regular, Cultura Cristã etc e etc, mas mesmo diante disso, fico indignado com o que tenho visto lido e ouvido, contra o movimento pentecostal.
Em primeiro lugar não acredito que uma pessoa vai se perder, pelo fato de não ser pentecostal, a questão de ter ou não dons não interfere na salvação de ninguém. Nem tampouco apoio a idéia de que uma cristão, que não exerça dons, não tenha o Espírito Santo em sua vida. Rejeito tanto o formalismo quanto o fanatismo.
Prossigamos adiante. Os excessos de inovações e distorções criadas pelo movimento da fé e por seitas e associações religiosas que se passam por “evangélicas pentecostais” tem sido a matéria prima dos “contra” para colocar tudo dentro de um fenômeno só, isso é mais que um erro, é uma injustiça. Outro fator importante, a incompetência de achar passagens bíblicas favoráveis, leva muitos apologetas a importarem do ocultismo fenômenos que se parece com dons, para aplicarem como exemplo, e prova definitiva de que os dons exercidos por cristãos nas igrejas pentecostais tradicionais é de origem pagã e animista, ou seja, lá o que for, menos do Espírito Santo. O que não somente é um erro, mas também uma afronta contra a integridade de muita gente que eu conheço, e sei que pelos seus frutos espirituais, nunca podem ser pessoas possuídas por espíritos imundos, e embusteiros. Que os problemas com relação aos dons existem, já podemos ver na recém formada igreja de Corinto, e parece que está muito longe de ser resolvida a questão. Mas pelo menos Paulo tinha melhor senso, em nenhuma de suas epistolas, ao invés de escrever contra os dons, como muito fazem hoje, ele tentou ensinar o modo correto de exercê-los. Portanto uma apologia bem diferente, Paulo não era anti-pentecostal, e se vivesse hoje em nosso meio, ele poderia até repreender muitos cristãos pelo fato de estarem usando inadequadamente os dons, mas ele jamais escreveria uma epistola, com conteúdo tão agressivo e descontextualizado, e sem apoio bíblico, como fazem os “contra” modernos, como veremos mais adiante.
Eu já li muito a favor e muito mais contra o pentecostalismo. Tudo bem, que a maioria faça uma apologia levando em conta posições que não se encaixam com o que a bíblia ensina, e o meu e-mail vai ficar aberto esperando quem provem o contrário, e é lógico, apresentando os versículos que essa matéria exigirá em sua continuidade. Um fato que desejo expressar, é que não favorável a muitos fenômenos como “cair no Espírito” “cirurgia espiritual” “farenose” “batalha espiritual dualista” e tantas coisas mais sem respaldo bíblico, modismo extravagantes e distorções supersticiosas, inventados para promover o marketing religioso, e conheço muitos pastores evangélicos de linha pentecostal que são muito equilibrados na teologia, bem cristocentricos na visão espiritual, e amadurecidos com relação aos dons. Mas apesar de amar muito os batistas, presbiterianos, menonitas e outros, quero fazer uma defesa do pentecostalismo genuíno, justamente porque embora muitos possam achar tantos defeitos na sua estrutura, geralmente quem ataca, omite fatos importantes relacionados a esse movimento.
Vamos em frente: a questão das línguas. No vocabulário pentecostal, línguas estranhas é o nome que se dá a experiência do batismo ou plenitude com o Espírito Santo, trata´-se da glossolalia, a polemica glossolalia teopneuticas, o dom de falar em uma outra língua estrangeira ou uma língua desconhecida.(xenolalia é falar línguas estrangeiras, glossolalia é falar línguas desconhecidas, a primeira precisa de tradução, a ultima de interpretação) Essa é a marca, a distinção principal entre evangélicos pentecostais e não pentecostais. A guerra apologética começa aqui. E quase sempre o fenômeno é associado por não pentecostais como algo demoníaco. O que é um erro, um erro muito grande. Na maioria das vezes quando alguém quer explicar a experiência de falar em línguas, afirma-se categoricamente que o que recebeu a experiência, fala por influencia de um espírito de engano, um demônio. Alguns mais prudentes afirmam que pode ser uma manifestação do nosso subconsciente e nada mais que isso, até aqui, ainda que a experiência seja do subconsciente, não afeta em nada questões teológicas. Mas se ao atacar o pentecostalismo, afirme-se que se trata de manifestação de demônios, então a questão fica complicada, bíblica e moralmente. Há muito mal entendido, porque muitos querem importar do paganismo as experiências extáticas como provas de as línguas é um fenômeno espírita.. mas a imitação não serve como prova a não ser para que seja provado de que existe o genuíno. A falsificação das coisas sobrenaturais, como no caso de Janes e Jambres, apenas comprova que a experiência do milagre original e verdadeiro existe! Aliás tomar posse de uma fraude espiritual para comprovar que todas as manifestações são fraudulentas é um erro que nenhum apologeta deveria cometer. Assim li um comentário de que alguém falou em línguas, e falou “shambalá” e essa é o nome da mítica cidade da “Grande Fraternidade Branca da Nova Era ou morada de Lúcifer, outro apologeta do time dos “contra” disse que em certo lugar alguém falou “siriri, siriri, siriri” e isso tem a ver com os deuses afros, porque lá no terreiro de macumba muitos falam esse tal de “siriri siriri”, tudo bem, posso até concordar que essas expressões realmente significam isso mesmo, sem qualquer problema, mas pergunto, foi uma experiência genuína? Todas as experiências de línguas são assim? Quem as falou era realmente uma pessoa santa, convertida, integra e que nasceu de novo? Tinha o Espírito Santo habitando plenamente na sua vida? São questões que precisam ser resolvidas, porque eu tenho visto que não é assim. Eu mesmo já presenciei coisas que não são genuínas, não procedem como sendo algo vindo do Espírito Santo, mas isso não irá me fazer concluir decididamente que tudo é uma falsificação, um embuste, eu seria um louco se procedesse assim, sabendo que existem experiências de línguas que mudaram completamente a vida de quem passou pela experiência, concluir tudo debaixo de um julgamento só. É uma loucura. E é exatamente isso que muitos fazem, confundem alhos com bugalhos e acabam confundindo tudo, isso é uma injustiça muito grande contra muitos irmãos pentecostais.
É irônico, mas muitos apologetas anti-pentecostais, precisam desesperadamente recorrer ao paganismo para testar a experiência de um cristão. E porque fazem isso? Porque não existe na bíblia uma única passagem que comprove decididamente que uma pessoa possuída por demônios fale línguas estranhas. Nós encontramos endemoninhados que ficaram mudos, mas que falaram línguas estranhas nunca(Veja Marcos 9:17 e Lucas 11:14) encontramos pessoas que tinham força anormal mas que falaram línguas estranhas, não existe um único caso registrado nos evangelhos, nem mesmo Paulo com todos os problemas com os corintios insinuou tal coisa, nós encontramos um caso em que o endemoninhado era surdo e mudo, mas que falava línguas estranhas, não há nada registrado(Marcos 9:25), então porque afirmar algo conclusivo quando a bíblia não ensina nem direta e nem indiretamente? Que apresentem os textos que ensinem que uma pessoa possuída por demônios fale línguas estranhas, e me calarei, o fenômeno da glossolalia acontece de forma extática no paganismo, mas não nas escrituras, aliás, para o bom observador, o fenômeno de falar em línguas no cristianismo, de modo genuíno não se dá de maneira passiva de maneira hipnótica ou coisa parecida, quem recebe essa experiência de forma genuína, não perde suas faculdades de discernir, não entra em transe como alguns sugerem, mas continuam em estado normal, é algo que flui em condições normais. Quando ocorreu o fenômeno de atos 2, os algozes do cristianismo até sugeriram que os apóstolos estavam bêbados, mas não sugeriram que estavam endemoninhados, foram mais prudentes!
Assim encontramos dentro da apologia anti-pentecostal, uma eisexese, ao invés de uma exegese. Desculpem-me os irmãos não pentecostais, mas sugiro que tenham mais cuidado ao tratar do assunto. Não quero discutir aqui como os dons devem ser administrados, foge desse assunto. Se há problemas no pentecostalismo nisso, ai é outro problema, outro assunto. Desejo esclarecer dentro dessa matéria que o falar em línguas em muitos casos não é um fenômeno demonológico nem psíquico, é algo além do escopo dessas duas alternativas. Portanto a terceira alternativa é que se trata de uma experiência bíblica genuína. Nós encontramos a respeito dessa experiência de falar em línguas genuíno, algo completamente diferente dos resultados obtidos em uma possessão demoníacas, comumente observadas no ocultismo, observamos em uma obra teológica a seguinte informação: “muitos críticos de línguas inferem que o falar em línguas pode perturbar a sanidade mental. O fato é que estudos psicológicos mostraram que o falar em línguas tende a integrar e consolidar a personalidade, tornando os possuidores do dom mais capazes de enfrentar os problemas da vida” (5) quando dispomos observar a questão dos dons pela ótica das experiências genuínas, ao invés das manifestações falsas, teremos conclusões mais equilibradas do assunto. Parece que a observação acima é algo completamente diferente do que os “contra” desejam argumentar como se o dom fosse algo sem sentido, sem resultados, mas isso não é bem assim como veremos adiante. Vejamos a experiência de Luciano Subirá, ele afirma o seguinte: “o falar em línguas não é uma linguagem extática, como dizem alguns, é uma linguagem de oração que edifica” (6). Geziel Gomes narra a experiência de um pastor presbiteriano que presenciou na sua igreja, um jovem que falava em línguas, e que na interpretação da mesma, se fazia uma lindíssima oração(7). O Dr Donald Gee também argumenta com muita experiência: “quando o verdadeiro dom de línguas é exercido por um crente que irradia o amor de Deus, é uma manifestação de beleza singular que raramente afugenta as pessoas normais”(8) o Dr Emilio Conde testemunha a respeito da experiência: “depois de receber a promessa, torna-se mais fácil ao cristão dizer ‘amém’. A toda a vontade de Deus. É que pelo Espírito Santo, a vontade divina sobrepuja a vontade própria, os pensamentos carnais dão lugar as coisas espirituais, as preocupações terrenas cedem as coisas do alto e o Espírito Santo reina na vida submissa, tudo como resultado do batismo com o Espírito Santo”(9).
Há uma descrição interessante no livro de K. Neill Foster, quando ele narra a história de uma moça possessa, ela certa vez começou a cantar uma linda melodia em línguas, e eles usaram o teste bíblico para provar os espíritos, perguntaram se Jesus veio em carne, e ela afirmava que sim. Em seguida Foster esclarece: “ contudo a moça permaneceu em controle demoníaco por vários meses após aquilo. Durante o tempo da sua possessão, a única hora que ela confessava que Jesus veio em carne era quando cantava em línguas. Sem as línguas, dizíamos para a moça afirmar que Jesus veio em carne. Ela queria dizer que sim, mas como os demônios ainda a controlavam, prendiam suas cordas vocais, e ela era incapaz de confessar o senhorio de Jesus, a não ser quando cantava em línguas. Esta condição continuou por um período de tempo depois dessa experiência”(10) alguém pode protestar contra todas essas experiências, mas pior do que apresentá-las como evidencias a favor, é importar as experiências extáticas e infrutuosas do ocultismo para combater o verdadeiro batismo com o Espírito Santo, colocando assim experiências genuínas no mesmo nível das experiências animistas, sem nenhum respaldo bíblico, muitos dos “contra” condenam os pentecostais por colocarem a experiência acima da razão, e fazem bem pior, raciocinam e fazem apologia usando as experiências do paganismo, pelo simples fato de não acharem na bíblia as provas convincentes para fortalecer ou comprovar as suas teses.
Eu não vou para por aqui, porque tenho arquivado a experiência pessoal de Enéas Tognini: ele narra a sua experiência do Batismo do Espírito Santo nas seguintes palavras que expressam os resultados: “o senhor me deu um tríplice ministério da palavra: pregada, gravada e escrita. Cerca de quarenta livros de avivamento, cerca de quatro ou cinco denominações evangélicas foram incandescidas pelo fogo de Espírito, mais de cem mil almas foram salvas e milhares foram batizados com o Espírito. O meu folheto “onde você passará a eternidade”?” circulou com mais de um bilhão de exemplares e levou milhares a Cristo. A mensagem para o dia nacional de jejum e oração levou o Brasil evangélico aos joelhos”(11) que os irmãos não pentecostais precisam criticar o sobrenatural que corrompe, é algo que concordo, afinal de contas Derek Prince o fez com muita veemência, e Hank Haneggraaf também tem feito com muita eficácia, e ambos eram pentecostais. Mas quem pode atribuir a experiência de Tognini como uma experiência diabólica? Não diz a bíblia que ele veio para matar roubar e destruir? Seria o diabo capaz de conduzir um cristão a uma experiência para após o resultado escrever um folheto com tiragem tão grande ao ponto de conduzir muitas almas ao caminho da salvação? Seria isso obra diabólica? Por favor citem um único texto da bíblia que prove ser o diabo o braço direito da grande comissão, me provem os católicos e os protestantes e todos os leitores da bíblia, que o diabo é capaz de fazer isso. Eu conheço muitas vidas que outrora arruinadas no mundo das drogas e no álcool foram restauradas e estão servindo em uma igreja pentecostal. Quero citar o fato de que o Pastor David wilkerson foi um jovem cheio do Espírito Santo, era pentecostal e mentor do sistema que iria tirar jovens dos antros infernais das drogas por décadas seguintes, e isso seria pelo fato de falar línguas, e portanto motivado por um espírito de engano! Seria correto isso? Citem pelo menos um versículo bíblico, que prove ser esse o projeto do diabo, restaurar os homens ao invés de arruína-los. Digo ainda mais como fato verídico, o irmão Almerindo, conheci ele na Igreja Cristã Remanescente, outrora era bêbado, jogado na sarjeta, era expulso do bar, como um indigente, para dormir no relento, família arruinada, vida arruinada, integridade arruinada, caráter arruinado. Mas um Pastor evangélico pentecostal começa a ajudá-lo, leva o bêbado para a igreja, prega para ele, a mensagem penetra no coração, vida restaurada e transformada, caráter restaurado, família restaurada, felicidade restaurada, nova vida, gozo paz e fé em Cristo. Esse é um caso entre milhares por esse mundo afora, de ex-drogados e traficantes, ex-alcoolatras etc. e etc. que agora servem a Deus em uma igreja pentecostal. Seria isso a prova definitiva, o pentecostalismo é obra diabólica. Por favor, me apresentem os versículos bíblicos, que provem definitivamente que um movimento visto de modo tão pejorativo por muitos evangélicos conservadores não pentecostais, é de orientação diabólica, avaliando o lado correto das coisas, os frutos que estão na arvore pentecostal, não os que estão caídos. Não estou enfatizando os resultados, apenas orientando o leitor para os frutos que uma arvore apresenta, porque muitos não estão olhando para a arvore, mas para os frutos caídos ou para as sombras dela...esses não conseguem ver as evidencias a favor, estão julgando a arvore pela sombra, e não pelos frutos sadios. Ora a biblia nos ensina que devemos examinar tudo e reter aquilo que é bom, pois bem, muitos apologetas do “contra” fazem o contrario, examinam tudo no movimento pentecostal, e selecionam aquilo que não é bom, para servir de prova definitiva contra o movimento pentecostal. Dias atrás vi num site católico um enorme artigo contra o protestantismo, tendo como pano de fundo e prova definitiva, as praticas da IURD. Colocar todo o protestantismo dentro de um conceito errôneo para julgar o todo, é um blefe apologético. A esmagadora maioria dos protestantes fundamentalistas, históricos e praticamente todos os pentecostais históricos rejeitam completamente as crendices neopentecostais.
Assim muitos do time dos “contra” também fazem. Mas quando ouvimos o testemunho de um homem de grande peso teológico como o DR Wayne Grudem podemos observar algo bem definitivo no batismo do Espírito Santo: “O resultado em minha vida sem duvida foi permanente, incluindo um amor muito mais profundo por Cristo e eficácia muito maior no ministério pessoal”(12) sinceramente, os “contra” precisam verificar se os faladores de “siriri” e “shambalá” realmente tiveram transformações positivas e de elevado caráter como os descritos acima. Caso descubram, eles devem ficar cientes que antes mesmo deles descobrirem, eu já sabia, que não era algo genuíno. As sementes do poder divino, não são estéreis, elas frutificam no coração do homem. Ora todos sabemos que as raízes do pentecostalismo não são pagãs, elas se encontram dentro do próprio protestantismo, e não fora dele. Citamos por exemplo, a citação de um texto do DR Leonardo Gonçalves : “O Dr Gary McGee também menciona as conferencias de Keswick, na grã Bretanha como tendo uma grande influencia sobre o movimento de santidade na América do norte, e conseqüente sobre o pentecostalismo. Os conferencistas de Keswick acreditavam que o batismo do Espírito Santo produzia uma vida continua de vitória, uma vida mais profunda, caracterizada pela plenitude do Espírito. Esta sentença esta alicerçada no conceito wesleyano que afirmava que o batismo do Espírito produzia a perfeição cristã. Os principais pressupostos da doutrina pentecostal”(13) como provas do resultado desse batismo poderoso, Gordon Lindsay também conta a história de John G. Lake, após receber a experiência do batismo no Espírito Santo, sua vida foi completamente transformada nas palavras de Lindsay: “Pouco depois da experiência partia John G. Lake como missionário para a áfrica do sul onde o seu ministério foi instrumento para dar inicio a um reavivamento apostólico sem precedentes desde os dias do primeiro século”(14)
É um crime contra a teologia se apossar de bizarrices e distorções carismáticas para apresentarem como provas contra o pentecostalismo genuíno. Não advertiu Isaías que não deveriamos inverter os valores morais, chamar o bem de mal ou o mal de bem? “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!”(15) pois é exatamente isso que muitos estão fazendo, injetam as heresias de muitos profetas da prosperidade em textos para fazer apologia contra o pentecostalismo. Omitem o fato de que o pentecostalismo histórico tem feito enorme oposição as heresias e distorções provenientes do movimento carismático atual. (16)
Há um preconceito errôneo que os “contra” costumam alimentar com relação ao pentecostalismo. Esse preconceito também enfrenta os criacionistas na comunidade cientifica. O falso conceito de que o pentecostalismo é para a plebe, gente sem teologia, que não entende nada de grego, hebraico, esse preconceito se dá porque os missionários pentecostais foram levar o evangelho aos pobres, foi levado as regiões mais distantes, ao povo comum de um modo geral. O pentecostalismo quebrou em muitas regiões o preconceito racial, enquanto que as denominações dos “ontras” lá nos EUA estavam envolvidos com a segregação racial, na duvida se negros e brancois podiam se congregar juntos no mesmo templo, os pentecostais partiam para a África, chegavam aos quatro cantos do nosso imenso brasil, chegando nas favelas, nos sertões, e quem deseja ir mais longe nas informações, procurem pesquisar a jornada dos pioneiros do moviemnto pentecostal no Brail e no mundo. Ousem fazer isso, se é que tais possuem a digna coragem de fazer. Mas não é isso o que os criacionistas enfrentam na comunidade cientifica secular? Para eles o criacionismo é para religioso ignorante, para a plebe. No entanto isso não é verdade. Basta pesquisar e descobrir que muita gente inteligente, cientistas e pessoas de elevado nível cultural, acreditam e defendem o criacionismo(17) mas Hannegraff, autor do excelente livro “CRIASTIANISMO EM CRISE” Comenta: “ estamos preparados para chamar um homem como Gordon Fee, um dos mais notáveis eruditos bíblicos de hoje, de esperto mas sem conteúdo? Haveríamos de dizer que o Dr. Walter Martin, fundador do Instituto Cristão de Pesquisas, e pai da revolução moderna contra as seitas, era um homem que tinha zelo sem conhecimento? Estaríamos querendo realmente classificar Chuck Smith pastor da capela do calvário de Costa Mesa, Califórnia e fundador dos maiores e mais eficazes movimentos cristãos da histótia moderna, como alguém cheio de entusiasmo, porem falto de iluminação?
Alguns dos pensadores de maior expressão e clareza hoje em dia são cristãos pentecostais: homens como o Dr Paul Walker, da Igreja de Deus do Monte Parã, em Atlanta, Estado da Geórgia; o Dr Mark Ruthland da Assembléia de Deus Calvário em Orlando, Flórida; Elliot Miller, editor jornalístico e autor de ‘ Crash Course on the New Age’ (Em rota de colisão com o movimento Nova Era) considerados por muitos a publicação definitiva sobre o assunto; Michael Green notório autor e reitor de Santo Aldate, em Oxford e George Carey, respeitável teólogo e arcebispo de Canberbury, e isso sem falar numa série de outros, igualmente proeminentes”(18) esta lista poderia prosseguir muito mais adiante, pois ainda temos o Dr Stanley Horton que foi professor emérito de bíblia e de teologia no seminário teológico das Assembléia de Deus nos EUA. Horton é bachareu em ciências, mestre em divindade, mestre em teologia sacra etc. ainda temos outros de renome mundial como o DR Derek Prince, grande mestre das escrituras e homem de notável discernimento sem contar com os inumeráveis homens de Deus aqui no Brasil. Seriam esse homens cheios de demônios? Algum evangélico poderia em sã consciência ousar que esses citados acima eram pobres ignorantes que pelo fato de defenderem o dom de línguas, foram possuídos por demônios e o resultado foi o legado que eles deixaram para nosso beneficio espiritual? Por favor respondam, se for possível. Respondam que Martin falou línguas, era possuído por espíritos imundos, e que Tognini também foi, e que ambos por receberem a experiência foram cristãos reprovados, que não contribuíram em nada para o protestantismo e que a vida dos citados acima foi uma vergonha, uma lastima e um prejuízo para o cristianismo. Ousem afirmar tal coisa se é que podem.
Além disso, encontramos no movimento pentecostal genuíno todos os elementos comuns a qualquer avivamento de qualquer era. Por exemplo, No seu livro "O Fogo do Reavivamento", Wesley Duewel fala sobre os cultos de do avivalista Campbell: ““O segundo culto terminou no mais completo silêncio. Deus falava aos corações. No final, Campbell despediu a multidão e o prédio esvaziou-se. Mas, de repente, a porta da igreja abriu-se de novo e um presbítero fez sinal para Campbell ir até ele. A congregação inteira estava do lado de fora, tão tocada pelo Espírito que ninguém queria ir embora. Outras pessoas, que não tinha assistido ao culto, foram atraídas de suas casas pelo poder do Espírito Santo. Muitos rostos mostravam profunda aflição. Campbell chamou todos de volta para a igreja. A presença majestosa de Deus era tão profunda que os não-salvos começaram a gemer aflitos e a orar arrependidos. Até os cristãos sentiram o peso do seu pecado. De repente, um grito vibrou no ar. Um dos soldados de oração do grupo dos jovens foi tocado até o ponto de agonia, enquanto derramava a sua alma pedindo o reavivamento. Ele caiu prostrado no chão em transe. Homens fortes clamavam por misericórdia e, à medida que cada um recebia a segurança da salvação, outros louvavam a Deus e até davam gritos de alegria. Uma mãe colocou os braços ao redor do filho, agradecendo a Deus, enquanto lágrimas de alegria corriam pelas suas faces. As orações de anos foram respondidas”(19)

CLAVIO JUVENAL JACINTO

BIBLIOGRAFIA

(1) DISCERNINDO OS TEMPOS- D. M. Lloyd-Jones PES, Pág 318

(2) HISTÓRIA DA TEOLOGIA CRISTÃ. Roger Olson, Editora Vida, Pág 31 e 32

(3) ENCICLOPEDIA DE BIBLIA TEOLOGIA E FILOSOFIA. VOL I Pág 466, R. N. Chanplin HAGNOS EDITORA

(4) O CAMINHO DO PODER ESPIRITUAL A W Tozer Editora Mundo Cristão pág 30

(5) FUNDAMENTOS DA TEOLOGIA PENTECOSTAL, VOL II
Pág 112, Guy Duffield e Nathaniel Van Cleave, Editora Quadrangular

(6) O CONHECIMENTO REVELADO- Luciano Subirá- Maná Edições pág 91

(7) PORQUE SOU PENTECOSTAL Geziel Gomes CPAD pág 82

(8) PARA QUE DEIS FRUTOS Donald Gee, Editora Vida pág 91

(9) PENTECOSTES PARA TODOS- Emilio Conde CPAD pág 85

(10) UM CAMINHO MELHOR-K Neill Foster-ACM pág 91 e 92

(11) REVISTA RAIO DE LUZ ANO 22 numero 87 1992 pag 15

(12) TEOLOGIA SISTEMATICA Wayne Grudem Edições Vida Nova. Pág 654.

(13) PENTECOSTALISMO, ANALISE POR UM PENTECOSTAL. Leonardo Gonçalves. Extraído de www.pulpitocristao.com/2008/12/pentecostalismo.html

(14)COMO RECEBER O BATISMO NO ESPIRITO SANTO. Gordon Lindsay
A Christ For The Nations INC. pag 2

(15)Veja Isaías 5:20

(16) pelo menos duas grandes obras podem ser consultadas sobre essa questão: CRISTIANISMO EM CRISE de Hank Hannegraff e PENTECOSTAIS E CARISMATICOS de Bill Burkett. Ambos publicados pela CPAD.

(17) existe uma pagima na internet que oferece grátis o um e-book com a lista dos ganhadores do premio nobel, que são criacionistas o endereço é:
www.nobelist.nert
na minha pagina da internet também tem uma lista de cientistas que crêem em Gênesis. Acesse www.judas3.blogspot.com


(18) CRISTIANISMO EM CRISE Hank Hanegraaff CPAD Pág 52

(19):\www.avivamentoja.com\Wc6ed2f01ebc5d.htmO Fogo do Reavivamento, por Wesley L. Duewel

ESTATISTICAS ALARMANTES

0 comentários

Estatísticas alarmantes

Abaixo o resultado de pesquisas feitas sobre o comportamento dos evangelicos nas igrejas do ocidente:

5% dos membros jamais são identificados;
20% nunca oram;
25% nunca fazem leitura da Biblia
30% nunca asistem aos cultos de adoração;
40% nunca contribuem económicamente com a igreja;
50% nunca comparecem a Escola Dominical;
60% nunca asistem aos serviços noturnos;
75% nunca ofertam para missões
80% nunca dizimam;
90% nunca asistem as reunioes de oração;
95% nunca alcançam outros para Cristo

Por acaso voce se identifica com esses cristãos descritos acima?

Nunca faça do seu cristianismo uma religião superficial, mas faça valer o titulo da sua fé
Cristão pentecostal.

TEOLOGIA OU METAFISICA?

0 comentários

“ Como num sonho, absolutamente tudo é possível. O que vocês pensam será. Trata-se simplesmente de pensar coisas dando lhe a existência. O ato de pensar pode literalmente criar matéria! Pensar é apenas uma extensão do que vocês percebem como realidade, e a realidade simplesmente é criada pelos pensamentos. Entendam que é o pensamento que origina as criações. Criações não passam de evidencia física manifesta no reino físico. Existem outros reinos que se manifestam como sonhos. Saibam que eles realmente existem e são tão reais como a realidade que vocês estão manifestando agora”
o discurso acima para ser proveniente de um pregado de confissão positiva? A linguagem é praticamente a mesma de muitos pregadores e expoentes da teologia da prosperidade e da confissão positiva de nossos dias. Mas não se iluda, o trecho acima é um encherto de um discurso dada por Lia Shapiro, adepta da Nova Era, que recebe mensagens canalizadas de supostos ETs provenientes das Plêiades. As coincidências não são acidentais...

CLAVIO JUVENAL JACINTO

terça-feira, 11 de maio de 2010

RAELISMO E A GENIOCRACIA

0 comentários

Raelismo e a geniocracia, uma modalidade de Nova ordem Mundial

Uma Nova Ordem Mundial, ou um governo mundial, não é somente uma idéia dos “Illuminati”. Rael, fundador e líder do movimento raelita também defende a implantação de um governo mundial, chamado por ele de geniocracia. Um governo mundial dirigido e administrado somente por pessoas de inteligência superior. O raelismo, tenta implantar uma espécie de ateísmo religioso. Na visão de Rael, os elohim, criadores da humanidade, eram ETs. Ao contrario de muitas sociedades secretas e de muitos movimentos da nova era, que enxergam nos arianos, um raça superior, Rael afirma que os judeus, seriam uma obra direta dos elohim, e portanto uma raça superior.
O movimento raelita é uma seita que une ficção cientifica e religião, algo próprio do nosso tempo. Rael reinterpreta as escrituras da maneira mais exótica que se pode imaginar. Ele explica por exemplo, que o peixe que engoliu Jonas era um submarino atômico, que a arca de Noé era um foguete que ficou em órbita e que tinha somente levava uma célula viva de cada animal terrestre, Sodoma e Gomorra foram destruídas por bombas atômicas, a torre de babel era um foguete espacial, Jesus era um ET produto dos elohim, maria teria recebido uma inseminação artificial, daí a explicação da virgindade de Maria. Rael vai mais longe e explica porque Jesus tinha êxito em seus discursos, usava técnicas de hipnose avançada. Os cabelos de Sansão eram antenas para contato com ETs e assim por diante. É interessante notar como a linguagem de uma ordem mundial é comum em muitas seitas e movimentos modernos, como o movimento Bahai e o movimento Raelita.
A seita ficou mundialmente conhecida quando uma de suas representantes afirmou ter sucesso ao clonar um ser humano. O movimento Raelita se espalhou pelo mundo e conta hoje com muitoa adeptos, principalmente na Europa, berço da seita. A teoria da implantação de uma geniocracia se adapta muito ao balanço do humanismo secular. De fato a seita é em essência centralizada no potencial humano, já que o enaltece e o classifica como produto dos deuses “elohim”. Como sempre, basta apenas afirmar que de falso profeta e de louco, cada herege tem um pouco.


CLAVIO JUVENAL JACINTO .